4 de janeiro de 2014

Notas do ENEM estão disponíveis

Os 5 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013 já podem consultar seus resultados individuais a partir deste sábado, dia 4. A consultar é feita pelo site www.inep.gov.br.
 
A nota do Enem é a porta de entrada exclusiva para 171 mil vagas em instituições públicas de ensino superior, sobretudo federais, neste primeiro semestre. A inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que centraliza as vagas, abre na segunda-feira, dia 6. A inscrição ocorre pelo site sisu.mec.gov.br.

Ex -presidiário é executado enquanto cortava os cabelos


DSC02068 (Copy)

Aconteceu na manhã de ontem sexta feira (03/01/14), onde dois homens em uma moto, dispararam vários tiros no Sr. conhecido por Nivaldo Sousa. Segundo informações do Sargento Galdino, a alguns dias dois homens vieram a Ouro Branco em busca de Nivaldo, ex-Presidiário, eles disseram que eram da policia e vinha prender o mesmo, ele conseguiu sair em fuga, mas agora eles conseguiram eliminar Nivaldo,  quando ele estava cortando o cabelo, e foi alvejado com vários tiros chegando a óbito no local.

O comandante da Policia de Ouro Branco-RN esta em diligencia para prender os assassinos, que segundo ele esse crime pode ter motivo de vingança.

DSC02069 (Copy)


Romualdo Martins/Blog a Tromba/Lee Dantas

Terceira etapa do Programa Mais Médicos começa em fevereiro

Com profissionais brasileiros, terceira etapa do Mais Médicos começa em fevereiro

A terceira etapa de contratação do Programa Mais Médicos será iniciada em fevereiro, com profissionais brasileiros e, em março, com os estrangeiros, segundo o Ministério da Saúde. A meta é atingir 13 mil médicos. Atualmente o programa conta com 6.658 profissionais. A pasta diz que os locais onde os médicos irão trabalhar ainda não foram escolhidos. O ministério pretende contemplar municípios que não receberam profissionais do programa lançado pelo governo federal em julho de 2013.

3 de janeiro de 2014

Receita libera programa gerador da declaração 2014

O programa gerador da Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (Dirf) 2014 está disponível no site da Receita Federal, de acordo com instrução normativa publicada nesta sexta-feira (3) no Diário Oficial da União.

O programa deverá ser utilizado para apresentação das informações relativas ao ano-calendário 2013, bem como das informações relativas a 2014, nos casos de extinção de pessoa jurídica decorrente de liquidação, incorporação, fusão ou cisão total, e nos casos de pessoas físicas que saírem definitivamente do país e de encerramento de espólio.

A Dirf é preenchida pela fonte pagadora, que deve informar à Receita Federal o valor do Imposto de Renda e as contribuições retidas na fonte, os rendimentos pagos ou creditados aos trabalhadores no ano anterior.
Agencia Brasil/Blog A Tromba

Termina hoje prazo de inscrição no Programa Inglês sem Fronteiras


 

Alunos do ensino superior têm até hoje (3) para se inscrever no Programa Inglês sem Fronteiras. As aulas começam no dia 20 de janeiro. Estão disponíveis 14.760 vagas em cursos presenciais gratuitos de inglês. As inscrições podem ser feitas no site do programa.
Podem concorrer às vagas estudantes de graduação, de mestrado ou de doutorado, com matrículas ativas nas universidades federais credenciadas como núcleos de línguas. Também podem participar estudantes ativos no Curso My English, online, níveis 2, 3, 4 ou 5 e estudantes que tenham concluído até 90% do total de créditos da carga horária de seu curso.
EBC / Blog a Tromba

Consumidores esperam até 5 horas na fila para comprar maconha legalmente no Colorado


Consumidores esperam até 5 horas na fila para comprar maconha legalmente no Colorado
Fotos: Reprodução/The Denver Post
O primeiro dia de comércio legal de maconha para fins recreativos no Colorado, nos Estados Unidos, levou, nesta quarta-feira (1º), centenas de pessoas às 37 lojas autorizadas a vender até 28 gramas da erva aos maiores de 21 anos no estado. De acordo com informações do jornal local The Denver Post, longas filas se formaram e a espera para ter acesso ao produto chegou a cinco horas. O primeiro comprador foi o veterano de guerra Sean Azzariti. Ele fez parte das tropas enviadas pelos Estados Unidos ao Iraque desde 2003, pelo então presidente George W. Bush, e disse que a droga o ajudará a aliviar o estresse pós-traumático causado pelos conflitos. O Colorado, que já aceita o uso da Cannabis para fins medicinais, aprovou a indústria legal do entorpecente em 2012. O estado estabeleceu um sistema para patrulhar as plantações e, pela nova lei, a produção é limitada a seis pés por pessoa, para evitar que o crescimento do mercado negro. Pela legislação federal dos EUA, no entanto, a maconha continua ilegal.
 
 
Bahia Notícias/Blog a Tromba

2 de janeiro de 2014

Nova lista de cobertura da ANS começa nesta quinta-feira


plano_de_saude_370O ano de 2014 chega com novidades para os usuários de planos de saúde. Entra em vigor a partir desta quinta-feira (2) o novo Rol de Procedimentos e Eventos de Saúde definido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). São 87 novas coberturas obrigatórias, incluindo testes de DNA para identificar 29 tipos de doenças genéticas. 
A lista acrescenta 50 novas modalidades de exames, consultas e cirurgias, além de 37 medicamentos orais para tratamento domiciliar de câncer. Serão beneficiados com a ampliação do rol 42 milhões de usuários de planos de assistência médica. As operadoras terão que garantir as coberturas sob pena de serem punidas com multas de até R$ 80 mil.

O gerente geral de Regulação Assistencial da ANS, Teófilo Rodrigues, aponta como avanço do novo rol o fornecimento de medicamentos orais para o tratamento domiciliar de câncer. Segundo ele, o paciente terá a comodidade de ser medicado em casa, e a operadora vai economizar com os custos do internamento hospitalar.
Outro destaque são as cirurgias por vídeo, entre elas a histerectomia (retirada do útero) e a nefroctomia (retirada do rim). Rodrigues cita também a inclusão de uma nova técnica de radioterapia para tumores de cabeça e de pescoço.

Outra inovação do rol é a oferta pelos planos de saúde de testes de DNA com o uso de tecnologias avançadas para rastrear e identificar doenças genéticas. A partir dos exames será possível indicar o tratamento adequado e acompanhar mais de perto a evolução da doença. 
Outro ganho para os usuários é a obrigatoriedade do fornecimento de bolsas coletoras intestinais ou urinárias para pacientes ostomizados. São aqueles portadores de doenças crônicas degenerativas que são submetidos a uma cirurgia que exterioriza a alça intestinal ou o ureter na parede do abdômem.

Questionado sobre o impacto dos novos procedimentos nas mensalidades dos planos, o gerente da ANS argumenta que o órgão regulador só terá condições de avaliar após o período de um ano, em janeiro de 2015. Ele acrescenta que nem sempre haverá aumento de custos para as empresas. 
“Há casos de substituição de procedimentos por outros, como o fornecimento de medicamento oral domiciliar, que vai evitar os custos de internação.” Quando o novo rol foi apresentado em outubro, as empresas do setor estimaram aumento de cerca de 5% nos custos.

De acordo com Teófilo Rodrigues, muitos tipos de exames e de cirurgias já são oferecidos pelos planos. “Em determinadas regiões é possível que algum tipo de tecnologia não seja acessível. Nestes casos, a operadora terá que providenciar o deslocamento para outras regiões. É mais negócio cumprir a lei do que pagar multa”, conclui.

1 de janeiro de 2014

Mega da virada sai para Bolão de 10 cotas



Uma das quatro apostas que dividiram a Mega-Sena da Virada, sorteada na noite desta terça-feira (31), foi um bolão de dez cotas feito na cidade de Palotina (PR), informou a Caixa Ecônomica Federal (CEF). Os outros bilhetes premiados foram comprados em Curitiba (PR), Maceió (AL) e Teofilândia (BA).
Cabe a cada uma das quatro apostas R$ 56.169.465,02. No caso do bolão, cada cota corresponde a R$ 5,6 milhões. Como uma mesma pessoa pode comprar mais de uma cota, não se sabe o total de participantes da aposta coletiva.    
Confira as dezenas sorteadas:
20 - 30 - 36 - 38 - 47 - 53
O bolão foi legalizado pela Caixa em outubro de 2012, quando a instituição afirmou que a aposta em grupo é um hábito dos brasileiros. Como o bolão é organizado pela própria Caixa, cada pessoa recebe um bilhete que dá direito a receber o seu prêmio separadamente dos outros participantes. Não há restrição ao número de cotas e pessoas que podem integrar o bolão.
Antes da legalização, como a prática era irregular, não havia provas de que mais de uma pessoa tinha participado da aposta, e o prêmio era entregue apenas ao portador do bilhete.
Segundo maior prêmio
O rateio deste ano da Mega da Virada foi de R$ 224.677.860,07, o segundo maior desde que a Mega-Sena da Virada começou, em 2009. A quantia é superior à estimativa inicial, que havia sido de R$ 200 milhões, e o prêmio é o maior do ano sorteado pelas Loterias da Caixa.
A Quina premiou 1.147 apostas com R$ 38.701,20. A Quadra registrou 90.376 apostas vencedoras e cada uma receberá R$ 701,67.
G1/Blog a Tromba

30 de dezembro de 2013

País termina 2013 melhor do que começou, diz Dilma em último pronunciamento do ano na TV


 
(foto arquivo)
No último pronunciamento nacional em cadeia de rádio e televisão do ano, a presidenta Dilma Rousseff procurou passar para população uma mensagem de otimismo para 2014. Em um balanço de 2013, Dilma frisou que país termina o ano “melhor do que começou”, mesmo passando por crises internas e externas.
*
Em um recado aos “críticos”, a presidenta disse que a “instalação da desconfiança” é muito ruim para o Brasil e que uma “guerra psicológica” pode inibir investimentos e retardar iniciativas.
Em pouco mais de 12 minutos, Dilma frisou que o Brasil tem motivos para esperar um 2014 “ainda melhor do que foi 2013”. “Sinto alegria de poder tranquilizar vocês dizendo-lhes que entrem em 2014 com a certeza que o seu padrão de vida vai ser ainda melhor do que você tem hoje, sem risco de desemprego, podendo pagar as prestações, em condições de abrir sua empresa ou ampliar seu próprio negócio”, disse a presidenta.
*
Aos jovens, Dilma pediu que “usem a fotografia do presente e do passado recente” para projetar um “futuro melhor”. Em relação à economia, a presidenta frisou que seu governo teve “ação firme”, cortou gastos e “garantiu” o equilíbrio fiscal, reduziu o preço da conta de luz e dos impostos.
“Nesses últimos casos, enfrentando duras críticas daqueles que não se preocupam com o bolso da população brasileira”, discursou em relação à oposição. Ela acrescentou que o governo está “firme” na luta contra a inflação na manutenção do equilíbrio das contas públicas. “Sabemos o que é preciso para isso e nada nos fará sair desse rumo”, frisou Dilma.
*
A presidenta lembrou ainda do processo de concessões de portos, aeroportos e rodovias que, segundo ela, estão “melhorando a infraestrutura, iniciando a mais ampla, justa e moderna parceria de todos os tempos com o setor privado”.
Dilma acrescentou que, em 2013, o governo viabilizou a exploração do pré-sal, o que vai garantir “fabulosos recursos” para a educação e a saúde. “Estamos fazendo um esforço redobrado nesta área [educação]. Além de garantir mais vagas e mais qualidade em todos os níveis de ensino, aumentamos o número de creches e escolas em tempo integral, universidades e escolas técnicas”, disse.
*
A presidenta disse que o Programa Mais Médicos levou 6.658 profissionais para 2.177 cidades e, em 2014, serão mais 13 mil médicos e 45 milhões de brasileiros beneficiados. No ano marcado pelos protestos de rua, a presidenta acentuou que o governo ampliou o diálogo com todos os setores da sociedade. “Escutamos seus reclamos implantando pactos para acelerar o cumprimento de nossos compromissos”, discursou.
*
Em recado direto a trabalhadores e empresários, ela se disse disposta a ouvi-los “em tudo que for importante para o Brasil.” Dilma frisou ainda que “apostar no Brasil é o caminho mais rápido para todos saírem ganhando”. Sem citar ações, Dilma ressaltou que o seu governo tem buscado apoiar “fortemente” as populações tradicionais, em especial os grupos indígenas e quilombolas. “Não deixamos, em nenhum momento, de lutar em favor de todos os brasileiros, em especial dos que mais precisam”, disse.
*
Reforçando o tom otimista para o próximo ano, a presidenta disse que o Brasil melhorou e pode melhor mais. “O Brasil será do tamanho que quisermos, do tamanho que imaginemos. Se imaginarmos um país justo e grande e lutarmos por isso, assim teremos”, prometeu Dilma

Agencia Brasil/ Blog A Tromba

Pagamento da prefetura de Àgua Nova só em 2014

A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rafael Fernandes e Água Nova - SINDISERPRAN e Diretora do Pólo Alto Oeste II- FETAM, Rosineide Nascimento informou ao Blog que em contato com fontes ligadas á prefeitura confirmam que o pagamento dos salários dos servidores públicos do município de Água Nova só serão creditados no próximo 02 de janeiro de 2014. Segundo Rosineide Nascimento a explicação dada pelo atraso do pagamento ocorre em virtude de os bancos não terem feito a  transferência para as contas dos respectivos servidores em tempo hábil antes do feriado.
Para a sindicalista a prefeitura de Água Nova, foi infeliz em adiar o último pagamento de 2013 para o ano seguinte, frustrando a expectativa dos servidores que esperavam passar a virada do ano com seu salário no bolso.
"O atraso de pagamento se configura  em um presente de grego para os servidores e confirma que em 2013 a  gestão da prefeita de Água Nova fica  abaixo da média." Disse a Sindicalista.

Michael Schumacher continua em coma induzido


 Michael Schumacher hospital coletiva (Foto: AFP)

Internado neste domingo após sofrer um grave acidente de esqui em Méribel, na França, Michael Schumacher segue em estado extremamente crítico. Na manhã desta segunda-feira (horário de Brasília), médicos e um porta-voz do Centro Hospitalar Universitário de Grénoble, no qual o heptacampeão mundial da Fórmula 1 está internado, concederam entrevista coletiva para esclarecer o quadro do ex-piloto. Após negarem a realização de uma segunda cirurgia, noticiada pela imprensa internacional, os especialistas revelaram que o alemão será mantido em coma induzido.

29 de dezembro de 2013

A divina tragédia de Belchior

Procurado pela polícia e hospedado de favor na casa de fãs, o compositor de clássicos como “Divina comédia humana” protagoniza uma história de amor e decadência


Edna Prometheu é o pseudônimo da produtora cultural Edna Assunção de Araújo, de 46 anos. Morena, de cabelos encaracolados e baixa estatura, não é uma mulher de beleza estonteante. Militante de organizações de extrema-esquerda, é definida por seus amigos como “idealista utópica”. No começo de 2005, ela estava em São Paulo, no ateliê do artista plástico cearense Aldemir Martins, já morto, quando entrou pela porta o músico Belchior. O cantor de “Paralelas” também pinta quadros e frequenta o ambiente artístico. Edna queria organizar uma exposição de Aldemir no Ceará. Belchior disse que tinha amigos por lá, poderia ajudar. Trocaram telefones.

Os dois acabaram organizando juntos a exposição em Fortaleza, naquele mesmo ano. Na volta, Edna ligou para um amigo e contou a novidade: “Estamos namorando”. A partir daí, a vida plácida de Belchior derrapou no trevo a 100 por hora, como diz a letra de “Paralelas”. Para ficar com Edna, ele abandonou a então mulher, Ângela, com quem estava casado havia 35 anos, mãe de dois dos quatro filhos que tem. Afastou-se dos amigos e foi gradativamente deixando de fazer shows, até sumir sem dar explicações, em 2009. “Essa figura nefasta está fazendo uma lavagem cerebral nele”, afirma Jackson Martins, ex-empresário de Belchior. “Depois dela, sua vida só andou para trás”, diz o artista plástico cearense Tota, amigo de Belchior.
 
A FELICIDADE É UMA ARMA QUENTE Belchior com a mulher, a produtora cultural Edna Prometheu. “Eles juntaram suas utopias”, diz o amigo José Roberto Aguilar (Foto: Bruno Alencastro/Ag. RBS)
O desaparecimento de Belchior, há cinco anos, surpreendeu a todos, família e amigos. Ninguém poderia esperar tal atitude. Ele deixou para trás a agenda de shows e todo o patrimônio, incluindo roupas, documentos, quadros, automóveis e apartamento. O sumiço transformou Belchior  em figura cult. A pergunta “onde está Belchior?” ecoou na internet e teve até repercussão internacional. Surgiram blogs sobre o tema. Campanhas nas redes sociais pediram  a volta do músico. E apareceram montagens cômicas – “memes” – em que Belchior aparece em locais inusitados como a ilha do seriado Lost. Suas músicas no YouTube, que antes tinham 5 mil acessos diários, hoje batem 500 mil.

O sucesso no mundo virtual não trouxe nenhum benefício para o Belchior de carne e osso. Aos 67 anos, ele vive escondido com Edna em Porto Alegre. Não pode sair em público, pois é procurado pela polícia. Pesam contra Belchior dois mandados de prisão pelo não pagamento de pensões alimentícias. Uma devida à ex-mulher Ângela, com quem tem dois filhos já maiores de idade, e outra à mãe de uma filha de 19 anos que teve fora do casamento. Além das pensões, Belchior abandonou todos os demais compromissos e é cobrado na Justiça em processos que correm à revelia. O ex-secretário particular de Belchior, Célio Silva, ganhou um processo trabalhista contra ele no valor de R$ 1 milhão. Não há mais como recorrer. As contas de Belchior estão bloqueadas, e os imóveis que tinha comprometidos. Sem dinheiro, ele já se abrigou numa instituição de caridade no Rio Grande do Sul e morou de favor na casa de fãs que nem conhecia.

O mais intrigante na espantosa história de Belchior é que ele aparentemente não agiu movido por depressão, dívidas ou golpe publicitário, como se pensou no princípio. A influência da mulher é apontada pela maioria dos amigos como o motivo do seu comportamento. Ainda assim, não há unanimidade. “Edna não conseguiria sozinha virar a cabeça de alguém inteligente como Belchior. São dois sonhadores, juntaram suas utopias. Deixaram de acreditar neste mundo materialista, objetivo e mesquinho e partiram para um caminho de desapego”, diz o artista plástico José Roberto Aguilar, de 72 anos, amigo do casal.
>> A história do cubano que viveu cinco meses no aeroporto de Guarulhos

Belchior nasceu numa família simples no interior do Ceará. Foi o mais bem-sucedido entre 23 irmãos. Estudou medicina na capital. Abandonou o curso depois de quatro anos, para ingressar na carreira artística. Estourou nos festivais na década de 1970 e compôs músicas com letras poderosas, como “A palo seco”. Seus sucessos foram gravados por Elis Regina, Jair Rodrigues e Roberto Carlos. Belchior é um artista com vasta cultura, domina cinco idiomas, conhece filosofia e gosta de física quântica. Até os anos 2000, lançava em média um disco por ano. “Ele era uma máquina, chegava a fazer três shows por noite. Era uma pessoa completamente dedicada à carreira”, diz o parceiro e ex-sócio Jorge Mello.

Tudo isso ficou para trás. O sumiço de Belchior lembra o caso do escritor russo Liev Tolstói. Aos 82 anos, ele abandonou tudo para viver como camponês. Tolstói teve um fim trágico – morreu de pneumonia depois de viajar na terceira classe de um trem durante o inverno soviético. Belchior, quanto mais se afasta da vida em sociedade, mais se afunda em dificuldades mundanas.
Capítulo 2
“Onde nada é eterno”

Depois que conheceu Edna, Belchior percorreu uma trajetória descendente em que, aos poucos, se despojou de todos os bens e obrigações. No final de 2006, ainda com a carreira aquecida, pediu que o empresário Jackson Martins parasse de agendar novos shows. Pretendia passar um tempo se dedicando à pintura e à tradução do poema Divina comédia, de Dante Alighieri, para uma linguagem popular. No início do ano seguinte, deixou o apartamento em que vivia com Ângela, mas continuou morando em São Paulo com Edna, num flat alugado. Desde então, a família diz não ter mais notícias dele. Belchior não era um marido muito presente, ficava até dois meses sem aparecer em casa. Teve duas filhas fora do casamento. Uma delas com uma fã que morava em São Carlos, no interior de São Paulo, com quem saiu uma única vez. A outra era fruto de um caso com uma estudante de psicologia no Ceará. Belchior pagava pensão alimentícia para a primeira. A família da segunda menina, hoje com 16 anos, não o acionou na Justiça.

As complicações começaram a aparecer em 2008. Ângela cobrava na Justiça uma pensão mensal de R$ 7 mil. Belchior se recusou a pagar. Na época, deixou de pagar também a outra pensão. Seus amigos notaram uma diferença de comportamento. “Ele parecia estranho. Me ligou perguntando sobre amigos que não vemos há 30 anos, num tom de voz que não era o seu”, diz Jorge Mello. Em outubro daquele ano, abandonou um carro no estacionamento do aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Belchior continuou em São Paulo até março de 2009, quando deixou o flat sem quitar os últimos meses de aluguel. Na garagem, ele largou um segundo carro, e em seu apartamento ficaram roupas, rascunhos de música, cartões de crédito e o passaporte. Belchior também abandonou tudo na casa alugada onde funcionava seu escritório: coleção de quadros, discos, documentos e o computador onde estava parte da tradução da Divina comédia, projeto que lhe consumira três anos. Seu secretário, Célio Silva, continuou abrindo o escritório, na esperança de que retornasse.
 
RASTROS Acima, a instituição  em Cachoeirinha, Rio Grande do Sul, que abrigou Belchior. Abaixo, o quarto no sítio  do advogado Jorge Cabral onde ele ficou hospedado (Foto: Ricardo Jaeger/ÉPOCA)
Belchior viajara com Edna para o Uruguai, onde descansava num vilarejo. Foi processado por Célio e por todos os credores que ficaram em São Paulo. Não se defendeu. Foi representado por defensores públicos até nos processos de pensão alimentícia. Como consequência, suas contas foram bloqueadas, e apareceram dois mandados de prisão contra ele, já que não pagar pensão é um crime passível de cadeia. “Como não tive contato com ele, a defesa ficou restrita a questões formais”, diz a defensora Claudia Tannuri, escolhida para defendê-lo no processo movido pela ex-mulher Ângela. Belchior nem sequer se importou com o destino de seus pertences. As roupas que estavam no flat foram doadas à caridade. A filha mais velha recolheu os documentos. Os carros foram levados para depósitos públicos. A dívida com os estacionamentos já ultrapassava seu valor. O proprietário do imóvel onde funcionava o escritório lacrou o lugar e recolheu os pertences. Seus quadros se perderam com a umidade.

Como na música “Divina comédia humana”, “em que nada é eterno”, Belchior e Edna perambularam durante todo esse período de hotel em hotel – várias vezes, sem pagar a conta. Amigos culpam Edna pela iniciativa. O primeiro hotel em que isso aconteceu foi o Gran Marquise, em Fortaleza. Os dois ficaram hospedados ali ainda em 2006. Saíram sem pagar dois meses de estadia, no valor de R$ 8 mil. Depois, repetiram a prática em pelo menos quatro locais. No Icaraí Praia Hotel, em Niterói, deixaram uma conta de R$ 4 mil. “Alguns funcionários tiveram de arcar com parte da dívida, já que permitiram que ele ficasse hospedado mais de uma semana sem pagar a conta”, diz o atual gerente, Germano Lopes. No Royal Jardins Boutique, em São Paulo, a conta pendurada foi de R$ 12 mil. “Eles deixaram um cheque caução, mas não tinha fundos”, diz Elly Shimasaki, gerente na ocasião.

O caso mais recente foi no hotel Cassino, na cidade de Artigas, no Uruguai, onde o casal se hospedou entre julho de 2011 e novembro de 2012. Os últimos meses ficaram sem pagamento, restando uma dívida de R$ 35 mil. Lá, Belchior deixou para trás roupas e um laptop.

“É uma lástima que um artista brasileiro dessa importância tenha agido assim”, diz o gerente uruguaio Ricardo Rodrigues. O hotel entrou com uma queixa criminal contra o casal.

Capítulo 3
“Sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco”

Nos últimos anos, Belchior se manteve à distância de qualquer atividade remunerada. Em 2009, quando o desaparecimento ganhou repercussão nacional, a montadora General Motors ofereceu um cachê milionário para ele aparecer num comercial. Belchior deveria dizer que, com o novo carro da GM, até ele voltava. Belchior recusou o convite e ficou bastante chateado com o teor da proposta. O empresário Jackson Martins diz que recebe constantes pedidos para shows, mas não consegue localizá-lo desde 2007. “Pago as dívidas dele se ele voltar”, diz. Outro empresário que trabalhou com Belchior por quase 30 anos, Hélio Rodrigues, diz que o desaparecimento fez aumentar o interesse do público. “Depois do escândalo, ele consegue lotar qualquer casa de espetáculo. Com dois shows em São Paulo, eliminaria as dívidas”, diz.

Hoje, a maior pendência de Belchior é o processo trabalhista ganho pelo secretário Célio, no valor de R$ 1 milhão. A causa está julgada. Um apartamento de propriedade do músico em São Paulo está em execução. A dívida da pensão para a ex-mulher Ângela soma cerca de R$ 300 mil. Mas cresce a cada dia, já que Belchior continua obrigado a pagar R$ 7 mil por mês. “O sumiço só agravou a situação dele. Se não tem dinheiro, deveria enfrentar juridicamente o processo, argumentando que não pode pagar”, diz Paulo Sato, advogado de Ângela. A pensão atrasada da filha que mora em São Carlos gira em torno de R$ 90 mil. As dívidas com hotéis cobradas na Justiça somam R$ 47 mil. Não são impagáveis, desde que Belchior volte a se apresentar.

A derradeira fonte de renda de Belchior eram os direitos autorais de suas músicas. Segundo o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), nos últimos cinco anos foram depositados R$ 367 mil referentes à execução pública de suas obras. Parte do dinheiro ficou retida quando as contas bancárias foram bloqueadas. Desde então, Belchior não contou com nenhum outro tipo de renda.

Capítulo 4
“Saia do meu caminho, eu prefiro andar sozinho”

Em janeiro deste ano, Edna e Belchior procuraram a Defensoria Pública em Porto Alegre. A história ganhou ingredientes ainda mais estranhos. Os dois alegavam que o bloqueio das contas e os mandados de prisão impediam que ele trabalhasse e voltasse a ganhar dinheiro para pagar as dívidas. Belchior aparentemente estava disposto a voltar. Mas o comportamento do casal era confuso. Edna falava desbragadamente, enquanto Belchior ficava quase sempre calado. “Durante um mês, me informei sobre os processos que tramitam em São Paulo. Fizemos um pedido judicial para a suspensão da execução, até que ele conseguisse se restabelecer. Nesse meio-tempo, Belchior sumiu”, diz a defensora pública Luciana Kern, que o atendeu.

Nesse mesmo período, Edna ligou para o jornalista gaúcho Juremir Machado, que não conhecia. Disse que Belchior estava escondido na cidade e precisava de ajuda. Ela queria que Juremir os levasse à sede regional da TV Record para fazer uma denúncia delirante. Juremir notou algo de incomum no casal. Eles se escondiam atrás de pilastras e ficavam olhando a movimentação nas ruas antes de entrar em algum lugar, como se fossem seguidos. Na retransmissora da TV, Edna afirmou ter um dossiê contra a TV Globo. O programa Fantástico noticiara o desaparecimento de Belchior em 2009 e a fuga do hotel uruguaio, em 2012. “Ela dizia que Belchior era difamado pela Globo e queria justiça. Falou até que havia uma tentativa de matá-lo”, diz a jornalista Vânia Lain, que recebeu os dois. Eles disseram que voltariam na semana seguinte trazendo os documentos, mas desapareceram.
 
CANTOR EM FUGA 1. Com o advogado Jorge Cabral, que hospedou Belchior em seu sítio em Guaíba, Rio Grande do Sul 2. Na União Brasileira de Compositores  3. Num hotel no Uruguai, de onde saiu sem pagar a conta (Foto: Reprodução e arq. pessoal )
Em Porto Alegre, Belchior e Edna ficaram inicialmente hospedados num hotel simples no centro, pago com ajuda dos funcionários do Tribunal de Justiça, primeira porta em que o casal bateu quando chegou à capital gaúcha. Depois, foram abrigados no Centro Infantojuvenil Luiz Itamar, instituição de caridade na região metropolitana. Dali, foram levados ao advogado Aramis Nacif, ex-desembargador do Estado, que poderia ajudar Belchior com os processos. “Ele dizia que um agente apareceria, mas nunca apareceu”, diz Nacif. Durante um mês, o casal ficou abrigado na casa de praia do filho dele. “Eles não tinham dinheiro algum. Edna apresentava um sentimento de perseguição muito grande, parecia ter algum distúrbio psicológico”, diz. Foi nesse momento que Belchior conheceu o advogado Jorge Cabral, na casa de quem se hospedou por quatro meses.

Cabral tomou um susto ao perceber que um músico importante como Belchior estava ali. E os convidou para ir a um sítio de sua propriedade, em Guaíba, local mais agradável. Belchior e Edna continuavam sem dinheiro. Nesse período, o advogado levou mantimentos, roupas, itens de higiene pessoal e até tintura para Belchior pintar os bigodes de preto.

No sítio de Cabral, Belchior não bebia nem comia carne vermelha. Passava os dias tomando chá, caminhando e cuidando das ovelhas. Fazia muitas anotações em papéis, que escondia numa pasta. Durante esse período, gastou duas canetas inteiras. Leu cerca de 40 livros. Não apresentava sinais de depressão. Parecia, segundo Cabral, alheio aos problemas que o cercavam. “Eu imaginava que ele era apenas um compositor nordestino, mas encontrei um artista plástico, um pensador, um filósofo”, diz Cabral. Ele pretende escrever um livro sobre a experiência.

Belchior só não gostava de falar sobre sua situação. Recusava-se a tocar violão e cantar. Edna impedia que ele fosse fotografado. O casal também não tomava nenhuma providência para resolver os problemas jurídicos. “A gente esperava que a situação se resolvesse, mas não acontecia nada. E aquilo não condizia com um homem lúcido, com memória fantástica, que fala várias línguas e tem uma quantidade enorme de músicas gravadas”, diz Jorge Cabral.
“Esse tempo que ele falou que daria na carreira já está longo demais. Só queremos notícias dele”, diz a irmã, Ângela Belchior. Belchior não apareceu nem no enterro da mãe, que morreu em 2011. Por telefone, a ex-mulher Ângela soa reticente. Não gosta de falar sobre um assunto tão delicado com a imprensa. Ela conta que, desde 2007, Belchior não entra em contato nem com os filhos. “Não entendo. Os empresários dele não entendem”, diz.

Em julho deste ano, Cabral pediu que o casal saísse, dado que Belchior e Edna não davam sinal de acabar com aquela situação de total dependência. Ele os deixou na porta da sede regional da União Brasileira de Compositores, com R$ 50 no bolso. Na União, Belchior tentou desbloquear o pagamento de seus direitos autorais, comprometido pelos processos na Justiça. Não conseguiu.

Belchior foi visto pela última vez na entrada do prédio, um edifício moderno num bairro de classe média de Porto Alegre, em frente a uma avenida bastante movimentada. Carregava uma pequena mala nas mãos e material de pintura debaixo do braço. Belchior – na belíssima letra de “Comentário a respeito de John”, ele cantava “eu prefiro andar sozinho” – estava, como sempre, ao lado de Edna.
 

Revista Época/Blog A Tromba/ Lee Dantas

A partir de 1º de janeiro Lei eleitoral restringe ações de agentes públicos

Com a proximidade das eleições para escolha de presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais, marcadas para o próximo dia 5 de outubro, pessoas que ocupam cargos públicos passam a ter que seguir regras estipuladas pela Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97 ). Pelas regras eleitorais, a partir do dia 1º de janeiro fica proibida, por exemplo, a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios pelos gestores de órgãos da administração pública.
Os repasses só podem ocorrer nos casos de calamidade pública, de estado de emergência ou de programas sociais que já estão autorizados em lei e em execução orçamentária no exercício anterior. Nestas situações, representantes do Ministério Público Eleitoral poderão acompanhar os gastos e distribuições.
EBC notícias/Blog a Tromba/Lee Dantas

Comunicamos que estamos em manutenção

  Estamos melhorando a roupagem do Blog !  Em breve estaremos de volta . Agradecemos   compreensão !