15 de abril de 2023


 

Pesquisa do Instituto Agorasei em parceria com a Rádio 96FM aponta o Prefeito de Agua Nova Ronaldo Sousa com 84,6% de aprovação na avaliação administrativa

 

A mais nova rodada do Projeto Os Melhores do RN, fruto da parceria entre a Rádio 96 FM e o Instituto Agorasei, mostra pesquisa de avaliação administrativa do município de Água Nova, na microrregião da Serra de São Miguel, no Alto Oeste Potiguar. 

Segundo dados do Agorasei, 84,6% dos entrevistados afirmam que aprovam a Gestão do prefeito Ronaldo Souza, que foi eleito pela segunda vez para o cargo de prefeito nas eleições de 2020.  

Na Gestão de Ronaldo Souza, Água Nova tem sido destaque entre os municípios do Rio Grande do Norte por ser um dos poucos sem inadimplência e fora do CAUC. Também é reconhecido pela Secretária Estadual de Saúde como o segundo que vacina mais contra a poliomielite. E também está na lista do Tribunal de Justiça do Estado como bom pagador. 

Os entrevistados que desaprovam a Gestão somam 9,7% e aqueles que não têm opinião ou não souberam responder são 5,7%. 

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi realizada nos dias 25 e 26 de março deste ano e ouviu 300 pessoas, de 16 anos de idade e acima, em toda zona urbana e principais comunidades rurais do Município de Água Nova. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 5.4 pontos percentuais, para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra.

Sobre o projeto Os melhores do RN

Os Melhores do RN é um projeto inovador, fruto da parceria da Rádio 96 FM e o Instituto Agorasei. Ele está apontando os gestores mais bem avaliados do território potiguar, baseado em pesquisas de avaliação administrativas
desenvolvidas pelo Instituto.


A pesquisa inédita extrai um material que mostra a opinião dos habitantes de cada município de forma clara e objetiva, em diversas áreas da gestão das prefeituras. Isso poderá ser usado para direcionar esforços das administrações no sentido de melhorar a vida dos seus habitantes. Por isso, aspectos como Saúde, Educação, Limpeza Pública, Coleto do Lixo e Assistência Social também serão analisados.

As pesquisas estão sendo divulgadas no Jornal das 6 e em várias plataformas da 96: site, redes sociais e nos programas jornalísticos da emissora de maior repercussão do rádio potiguar. Além disso, os melhores prefeitos também estão sendo entrevistados ao vivo no Jornal das 6.

Fonte: Rádio 96 FM

14 de abril de 2023


 

Prefeitura de Água Nova inicia operação tapa-buraco



A Prefeitura Municipal de Água Nova em parceria com o Departamento de Estradas e Rodagem (DER), realizam mais uma vez,  operação tapa buracos na RN-079, que liga Água Nova a Rafael Fernandes. 

A operação visa melhorar as condições de tráfego  na RN 79.

Fonte: Jeicikelli


 

Inscrições para ambulantes na Festa de Maio começam dia 26 de abril

 

A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Urbanos divulga o período de inscrições para ambulantes que pretendem atuar na Tradicional Festa de Maio em Água Nova. As inscrições ocorrerão nos dias 26 e 27 de abril, na sede da Prefeitura, das 08h às 11h. Será necessário portar os seguintes documentos: CPF, RG e comprovante de residência.


 

13 de abril de 2023

Bate-papo na Rádio Esperança as 9 horas de hoje sobre o processo de escolha dos membros para o conselho Tutelar de Água Nova

 

O Bate-papo terá a participação  de Sávio Felipe-Presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente,  Ana Cristina - Secretaria de Assistencia Social e Carla Maria - Técnica da Secretaria de Assistencia Social. o tema a ser abordado será  sobre o processo  unificado para escolha  dos membros do Conselho Tutelar que acontece esse ano. O bate-papo está marcado para as 9h da manhã dessa quinta-feira (13) de abril, na Rádio Espeança FM, com a sitonia  em 87,9 sob o comando de Marcos Maciel.

12 de abril de 2023

Ricardo Lewandowski deixa hoje o cargo de Ministro do Supremo



O ministro Ricardo Lewandowski se aposenta do Supremo Tribunal Federal nesta terça-feira, 11, após 17 anos de trabalho na Corte máxima. Desde que assumiu a cadeira do jurista Carlos Velloso, em 2006, o magistrado proferiu cerca de 200 atos judiciais, atuando em casos emblemáticos, como o julgamento sobre cotas raciais em universidades federais, a decisão que concedeu prisão domiciliar às presas gestantes, puérperas e mães de crianças de até 12 anos e os processos relativos ao combate à pandemia da covid-19.

Antes de oficialmente deixar os quadros das Cortes superiores, Lewandowski deve participar, na noite desta terça-feira, 11, da sessão plenária do Tribunal Superior Eleitoral, do qual é vice-presidente. A reunião colegiada dos ministros do Supremo Tribunal Federal, realizada às quartas, já terá uma cadeira vazia na sessão de amanhã, 12.

Tal cenário será mantido até o presidente Luiz Inácio Lula da Silva indicar um novo ministro à Corte máxima, nome que deve ser aprovado pelo Senado. O sucessor do de Lewandowski ainda não foi definido, mas os favoritos são o advogado Cristiano Zanin, que defendeu Lula na extinta Operação Lava Jato, e o jurista Manoel Carlos de Almeida, pupilo do ministro do STF.

Lewandowski deixa o STF um mês antes de completar 75 anos, marco da aposentadoria compulsória. A antecipação da saída da Corte máxima se deu em razão de “compromissos acadêmicos”, indicou o ministro ao anunciar a aposentadoria, no final de março.

Agora RN- Jornal a Tromba

11 de abril de 2023


 

Nos 100 dias de governo Lula diz que está desfazendo o retrocesso ambiental deixado pelo governo passado

 

Ao completar 100 dias na segunda-feira (10), o governo Lula (PT) colocou em marcha medidas vitais para a preservação dos biomas, mas ainda não reverteu de maneira definitiva a tendência de destruição na Amazônia e do Cerrado. E especialistas preveem que isso não vai acontecer tão cedo. 

Para cumprir a promessa de campanha do “desmatamento zero” até 2030, será preciso mais do que desfazer o desmonte ambiental deixado por Jair Bolsonaro (PL). Ambientalistas ouvidos pelo Brasil de Fato estão confiantes de que os resultados devem aparecer nos próximos anos, desde que haja mais rigor na fiscalização e menos concessões ao agronegócio.

Ane Alencar, diretora de Ciência do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia e coordenadora do biomas Cerrado e Fogo no MapBiomas, diz que os dados do Deter, o sistema de alertas do Inpe, indicam redução sensível no desmatamento da Amazônia e do Cerrado.

Segundo ela, até 24 de março a floresta amazônica viu o desmatamento cair de 941 km² para 710 km², em comparação com o mesmo período do ano passado. No Cerrado, o patamar se manteve com uma queda leve: de 1288 km² para 1244 km².

“Já é uma coisa a se comemorar, principalmente no caso da Amazônia. Mas a gente precisa consolidar essa redução. E essa consolidação vai acontecer conforme o governo estiver mais estruturado e organizado”, diz a integrante do Mapbiomas.

A partir de maio, a política ambiental do governo Lula deve passar literalmente por uma “prova de fogo”. Esse é o período em que termina a estação chuvosa na Amazônia, quando as queimadas começam a aumentar. 

Herança maldita de Bolsonaro ainda pressiona números do desmatamento 

Márcio Astrini, secretário-executivo do Observatório do Clima, ressalta que não é possível fazer uma avaliação justa do começo do mandato sem considerar que o governo anterior fez tudo em seu poder para favorecer criminosos ambientais. Os efeitos são sentidos até hoje nos números do desmatamento. 

“O governo Bolsonaro tinha um plano sistemático, calculado e diariamente executado de sabotagem institucional, de destruição em todas as estruturas de meio ambiente no Estado brasileiro”, pontua Astrini Entre as medidas de Lula com avaliação positiva do Observatório do Clima, estão a reativação do Fundo Amazônia, a retomada da capacidade de operação do Ibama, a volta da cobrança de multas ambientais e a operação contra o garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami.

:: Relatório expõe estrago na política ambiental sob Bolsonaro ::

“A gente tem um combo de situações bastante interessantes que o governo já colocou para andar. O processo de reconstrução está em andamento, mas os resultados vão demorar um pouco a aparecer”, afirma. 

Para marcar os 100 dias, a ministra do Meio Ambiente Marina Silva deve relançar na próxima semana o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm). A iniciativa, que resultou na redução de 80% do desflorestamento do bioma entre 2004 e 2015, foi engavetada por Bolsonaro. 

“O grande resumo deste início de mandato é que antes nós contávamos o tempo para a destruição completa da Amazônia, da governança ambiental e da imagem do país. E agora nós contamos o tempo para ver quando o desmatamento vai baixar, quando a governança será reinstalada e quando a nossa rota na agenda de clima vai ser corrigida”, diz o secretário Executivo do Observatório do Clima.  

Participação social para barrar agronegócio 

O Observatório da Governança Ambiental do Brasil (OGAM), criado em 2022, cobra do governo Lula a ampliação da participação da sociedade civil no Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). A instância é a mais importante para a interlocução entre governo federal e sociedade civil, mas havia sido esvaziada por Bolsonaro. 

“Por um lado foi positivo porque Lula trouxe para dentro do Conama as representações indígenas, sindicais e de cientistas, que tinham sido alijadas no mandato anterior. Ao mesmo tempo, essa composição nova foi frustrante na medida em que ela diminuiu a participação da sociedade civil e aumentou o número de representantes de governo, em comparação com o que tínhamos antes de Bolsonaro.”


10 de abril de 2023


 

Fluminense goleia o Flamengo e é bicampeão carioca

 

Com uma virada incrível, o Fluminense venceu o Flamengo e sagrou-se bicampeão do Campeonato Carioca 2023 neste domingo (09). O Flu teve grande apresentação e goleou o rival por 4 a 1, garantindo, no Maracanã, o 33º estadual de sua história.

Comunicamos que estamos em manutenção

  Estamos melhorando a roupagem do Blog !  Em breve estaremos de volta . Agradecemos   compreensão !