13 de agosto de 2022

Cortes de Bolsonaro podem atrapalhar eleição de Rogério Marinho

 

Os vetos do presidente Jair Bolsonaro atingem em cheio a eleição do seu ex-ministro Rogério Marinho.

As promessas feitas a municípios começam a de desmilinguir e tem prefeito dando 15 dias para, caso as promessas não sejam cumpridas, pularem do barco.

Mesmo com os cortes o rogerismo aposta nas emendas de relator, que fazem parte do orçamento secreto, que não sofreu cortes.

Porém, contar com o orçamento secreto não tem garantido nada a ninguém, já que as eleições estão bem ali e a transparência do tal orçamento secreto está sendo questionada em ações no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Tribunal de Contas da União (TCU).

Esse imbróglio, somando-se às denúncias estouradas contra a Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba), fazem com que os repasses do orçamento secreto se tornem ainda mais difíceis.

FONTE: thaisagalvao.com.br

12 de agosto de 2022

Atos em defesa da DEMOCRACIA aconteceram em 9 estados

 

 Pelo menos  em nove estados e no Distrito Federal foram palco, ontem , quinta-feira (11), da leitura de cartas e manifestações em defesa da democracia e por eleições livres no Brasil.

Na data de criação dos cursos jurídicos no país, que originou também o Dia do Estudante, os secundaristas iniciaram cedo os protestos.

Por volta das 8h, em frente ao Colégio Júlio de Castilhos, em Porto Alegre, os manifestantes seguiram em direção ao Palácio Piratini, sede do governo estadual, e à Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Ali foi lida, às 11h, a Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado democrático de Direito.

manifesto é considerado uma resposta à escalada golpista do presidente Jair Bolsonaro (PL) que vem ameaçando não respeitar o resultado eleitoral, caso perca no pleito, em outubro.

O protesto foi acompanhando também por universitários e trabalhadores que engrossaram o coro “a nossa luta é todo dia, educação não é mercadoria” e “fora Bolsonaro” durante a passeata.

Movimentos sindicais, como o CSP-Conlutas protestaram também com faixas com dizeres “golpe não” e “tomar as ruas para defender as liberdades democráticas”.As manifestações em defesa da democracia também começaram cedo em Fortaleza.

Por volta das 9h, movimentos sociais, sindicais, estudantis e trabalhadores se reuniram na Praça da Bandeira, em frente à Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Simultaneamente à leitura nas Arcadas da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, no Largo São Francisco, região central da capital paulista, o juiz aposentado, membro da Associação de Juristas pela Democracia (ABJD), Inocêncio Uchôa, também deu voz à reedição do documento, escrito há exatamente 45 anos contra a ditadura civil-militar.

“É importante que a sociedade brasileira vá às ruas e faça ecoar sua voz contra o arbítrio que se instaurou no governo brasileiro e pela defesa das garantias e direitos fundamentais de todos os brasileiros. É importante que neste momento nós deixemos de lado nossas diferenças e acentuemos as nossas convergências pelos valores da democracia”, observou o professor Newton Albuquerque do curso de Direito da UFC e coordenador da ABJD Ceará.

Já pela manhã, a nova edição da Carta aos brasileiros contava com mais de 950 mil assinaturas, reunindo também entidades empresariais entre os signatários, artistas e banqueiros.

Bolsonaro, no entanto, não endossou o documento e disparou críticas desde que ele foi aberto para a sociedade civil.

Também houve quase 20 mil tentativas de fraude contra a carta, segundo contou ao G1 o procurador-geral do Ministério Público de Contas de São Paulo, Thiago Pinheiro Lima, um dos organizadores da iniciativa.

Amplos setores da sociedade civil também partiram na manhã deste dia 11 de agosto em passeata da Praça do Campo Grande, no centro de Salvador, em direção à Praça Castro Alves.

Em Teresina, milhares se reuniram na Praça Rio Branco, às 8h30, onde seguiram pelas ruas do centro da capital piauiense até a Praça da Liberdade.

O ato foi seguido com faixas que pediam “Fora Bolsonaro” e carros de som. Perto das 10h, também foi lido o manifesto em defesa da democracia.

11 de agosto de 2022

Militares aliados de Bolsonaro receberam salários de até R$ 1 milhão no auge da pandemia



 O general Walter Braga Netto, candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PL), recebeu R$ 926 mil em dois meses de 2020, no auge da pandemia de covid-19. R$ 120 mil foram pagos ao general em um único mês, referente a férias. Outros militares do governo tiveram a folha de pagamento turbinada naquele ano. Estão na lista o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Eduardo Ramos, e o ex-ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque.

Braga Netto tem um salário bruto mensal de R$ 31 mil como general da reserva do Exército, mas recebeu um montante de R$ 926 mil nos meses de março e junho de 2020 somados, sem abatimento do teto constitucional. O teto limita os salários a R$ 39,3 mil por mês no serviço público, diz o Estadão.

Bento Albuquerque, almirante de esquadra reformado da Marinha, teve R$ 1 milhão em ganhos brutos nos meses de maio e junho somados, enquanto o salário habitual do ex-ministro é de R$ 35 mil por mês como militar. Luiz Eduardo Ramos, por sua vez, recebeu um montante de R$ 731,9 mil em julho, agosto e setembro de 2020, também somados, apesar de ganhar um salário de R$ 35 mil por mês em períodos “normais” como general. Na época dos ganhos extras, Ramos comandava a Secretaria de Governo. Hoje, é chefe da Secretaria-Geral e um dos ministros mais próximos a Bolsonaro.

Os benefícios pagos pelo governo levaram oficiais e pensionistas a ganhar até R$ 1 milhão na folha de pagamento em um único mês, conforme dados do Portal da Transparência. O deputado Elias Vaz (PSB-GO), autor do levantamento, vai cobrar explicações do Ministério da Defesa sobre o que classifica como “supersalários” pagos aos militares.

Procurados, Braga Netto e Bento Albuquerque não responderam. Ramos disse que os valores têm caráter indenizatório ou de ressarcimento relativos à sua ida para a reserva. O Exército afirmou que os pagamentos incluem indenização por férias não usufruídas e adicionais não recebidos ao longo da carreira. Para Ramos, os valores entraram no contracheque em função da passagem para a inatividade e indenização por férias e licença especial não usufruídas. Em todos os casos, as Forças Armadas argumentaram que os pagamentos estão fundamentados em instrumentos legais. 

10 de agosto de 2022

“Eu tô doido pra ir embora, meu irmão, doido pra acabar pra ver se eu tenho paz na vida, de poder andar tranquilo”, disse Styvenson poucos dias antes de confirmar candidatura ao governo

 

Até que ponto o senador Styvenson Valentim quer ser governador?

Em entrevista pouco tempo antes de anunciar sua candidatura, ele declarou que estava “louco para sair“

“Eu tô doido pra ir embora, meu irmão, doido pra acabar pra ver se eu tenho paz na vida de poder andar tranquilo, sem ficar com preocupação de ter que fiscalizar, se estão roubando o dinheiro da gente. Afe maria, é toda hora preocupado” disse Styvenson, depois de dizer que não perde se as pessoas não votarem mais nele.

Thaisa Galvão

9 de agosto de 2022

PT inicia campanha com Lula e Alckmin em SP e atos pelas ruas de todo o país



O Partido dos Trabalhadores (PT) definiu a estratégia para o início da campanha eleitoral no próximo dia 16: haverá atividades em todo o país e ato do ex-presidente Lula e do ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) em São Paulo. A informação é do portal UOL.O partido convocará seus oito aliados da coligação "Brasil pela Esperança" (PSB, PV, PCdoB, PSOL, Rede, Solidariedade, Avante e Agir) e os diretórios regionais para atos em todo território nacional, com foco não somente em comícios, mas em panfletagem, adesivaços, distribuição de bottons, bandeiras, entre outros. O propósito é fortalecer a imagem nacional do partido sem depender de Lula, reforçando as candidaturas locais.

"Cada um vai fazer do jeito que o estado está mais acostumado. As pessoas têm, em cada estado, uma forma de fazer manifestação, mas estamos orientando que a campanha seja colocada na rua. As banquinhas com material e visual, que já são tradicionais. Tem gente que vai fazer caminhada, tem gente que quer fazer pequenos atos", afirmou Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, em declaração .Enquanto isso, Lula e Alckmin deverão promover um ato em porta de fábrica na capital paulista com centrais sindicais, visando 'voltar às raízes' do presidenciável petista. As pautas serão criticar o aumento do desemprego, da inflação e do uso eleitoral do aumento do Auxílio Brasil por Jair Bolsonaro (PL). Há a alternativa de fazer uma caminhada pela cidade, ainda restando bater o martelo para saber qual será a programação exata do dia 16.

Na mesma semana, no dia 18, a chapa presidencial viaja a Belo Horizonte para promover um comício com o ex-prefeito Alexandre Kalil (PSD) e o deputado André Janones (Avante). Então, Lula e Alckmin retornam a São Paulo para um grande comício no sábado (20) no Vale do Anhangabaú, com a presença do ex-prefeito e atual candidato ao governo, Fernando Haddad (PT). Na semana seguinte, há o planejamento de um ato no Rio de Janeiro com a presença do deputado federal Marcelo Freixo (PSB), que pleiteia o governo carioca. 

8 de agosto de 2022

Primeiro debate do RN foi marcado por ataques a Fátima, a reza da candidata bolsonarista e a negação de Fábio Dantas a Robinson Faria

 

A percepção do grupo de qualitativa que acompanhou o debate – formado por pessoas escolhidas por um instituto de pesquisa em vários pontos da capital e de cidades onde puderam assistir, ou pelas retransmissoras (Sidys em Currais Novos e TCM em Mossoró) ou pelo youtube, foi exatamente essa: de que os candidatos só atacaram e não disseram a que vieram.

O apurado da percepção do grupo foi de que o debate, sem vencedores, foi favorável à governadora Fátima Bezerra. Pelo índice de ataques a ela destinados. O tiro no pé.

Mas, cada um tem o direito de dizer que ganhou, e de ver a “sua vitória” repercutida entre seus grupos de apoiadores.

Outro ponto que marcou o primeiro debate entre os candidatos do Rio Grande do Norte foi o “Pai Nosso” rezado pela candidata bolsonarista Clorisa Linhares, ao encerrar sua participação.

Com todo respeito pela oração e pela fé da candidata, mas a hora e o lugar eram impróprios. Já basta o bolsonarismo terrivelmente evangélico usando o nome de Deus em vão.

No grupo da qualitativa, formado por pessoas diferentes a cada dia pesquisado, uma pessoa até elogiou Clorisa, mas a maioria entendeu que faltou discurso à candidata em suas considerações finais, e ela, além de mandar beijo para a neta Luna Sofia, rezou o Pai Nosso.

Quem deve ter terminado o debate bem irritado foi o ex-governador Robinson Faria.

E olhe que a governadora Fátima Bezerra nem falou tanto sobre as folhas salariais em atraso deixadas pelo governo dele e que ela teve que pagar, ressaltando que, em valores, pagou o mesmo que “5 pontes daquela que Wilma construiu”.

O tiro na testa de Robinson Faria foi disparado pelo candidato Fábio Dantas, seu vice-governador, e hoje seu amigo verdadeiro, como tem postado nas redes.

Fábio negou Robinson durante todo o debate e chegou a dizer que nem foi vice dele.

“Não fui vice de Robinson. Fui vice do Rio Grande do Norte”, disse Fábio, que seguiu vice, com as benesses que o cargo oferece, até o final da gestão.

Aliás, Fábio se assemelhou a Robinson no seu discurso das considerações finais, quando quase repetiu o chavão do ex-governador em 2014, quando dizia que iria governar para as pessoas e para as cidades. Se brincar o texto era o mesmo.

Ao mesmo tempo que negou ter governado o estado, mesmo sendo vice, Fábio quis dizer que Fátima participou dos 3 últimos governos indicando secretarias.

Um discurso contraditório e esquisito, que diz que vice não apita em nada, mas aliado que indica cargo governa junto. Se perdeu aí.

Ah, o senador Styvenson repetiu o que já havia dito. Não vai participar dos programas eleitorais e nem usar a verba eleitoral. Mas certamente o Podemos, seu partido, com candidatos a senador e deputados, irá usar.

Até porque terminou no dia 1º de junho o prazo para encaminhar ao TSE documento abrindo mão, tanto dos recursos quanto do tempo de TV.

Styvenson fará seu marketing nas redes sociais. E já começou postando que ele venceu o debate.

Lá no primeiro bloco Fátima perguntou o que ele achava dos programas sociais do seu governo para combater a violência contra mulheres e ele respondeu dizendo que já pediu desculpas. Fátima rebateu afirmando que ele estaria vestindo carapuça já que ela não havia lhe acusado de nada.

Styvenson se referia, mesmo sem ter dito, às lives onde em uma ele atacou a deputada Joice Hasselmann, dizendo que ela deveria estar drogada quando sofreu violência em casa, e em outro caso, quando diz que uma mulher havia levado “uns tapas bons” do companheiro que a agrediu.

Para justificar, disse no debate que mulher também comete crimes.

O candidato Danniel Moraes (PSOL) reforçou suas críticas ao presidente Bolsonaro, sempre que ficava frente à frente ou com Clorisa ou com Fábio Dantas. E diante de Fábio disse que ele como governador não teve coragem de rescindir o contrato do Estado com a Arena das Dunas, em que o governo paga 11 milhões por mês. Fábio voltou a negar que tenha governado o Rio Grande do Norte mesmo tendo sido vice.

Nas redes sociais os internautas não paravam de lembrar a participação de Fábio como parte da gestão Robinson Faria, confirmando que de 20 de fevereiro a 3 de março de 2017, durante uma viagem de Robinson à China, Fábio governou o Rio Grande do Norte e até encaminhou mensagens do executivo para aprovação da Assembleia Legislativa.


Fátima foi criticada por Fábio por não ter construído hospital de campanha na pandemia. Ela explicou que se tivesse construído, hoje ele estaria fechado, mas a decisão de fortalecer o SUS, equipando hospitais pelo interior, mostrou que foi a decisão mais acertada, já que a maioria das unidades de saúde que recebeu melhorias, permanece até hoje com as melhorias.

Lembrando que o hospital de campanha construído em Natal foi desativado, sem deixar legado em nenhuma unidade de saúde do município.

Parece não ter convencido os internautas o discurso do senador Styvenson de que ele não é bolsonarista. Para o eleitor que acompanhou o debate e vai seguir acompanhando a campanha, pelo menos dos 5 candidatos que foram ao estúdio da Band RN, 3 eram bolsonaristas: Fábio Dantas, Clorisa Linhares e Styvenson Valentim. Fátima do PT de Lula e Danniel do PSOL, apoiam a candidatura de Lula.

Clorisa foi a defensora fiel de Bolsonaro, ao ponto de, ao ser questionada por mais de 600 mil moryes, dizer que a covid surgiu na China e que não era papel de Bolsonaro acabar.

Um debate frio, apesar do formato interessante, sem aquela chatice de perguntas escritas em papéis sorteados com temas pré-definidos. Mas frio pelo conjunto da obra.

A campanha está só começando, e quem tiver o que apresentar e não tiver rabo preso com nada, vai virando peça vencedora no jogo do ‘resta um’.

FONTE: thaisagalvao.com.br

7 de agosto de 2022

Chapa Lula-Alckmin registra candidatura no TSE

 

O registro das candidaturas de Lula para presidente e Geraldo Alckmin para vice-presidente foi pedido ontem sábado (6/8) junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) visando a disputa da eleição presidencial que acontece no dia 2 de outubro, em primeiro turno.

Eles serão candidatos pela Coligação Brasil da Esperança, composta pela Federação FE BRASIL (PT/PV/PC do B), Federação PSOL/REDE, PSB, Solidariedade, Avante e o Agir.

A coligação da chapa Lula e Alckmin é formada por nove partidos. Esta é maior coligação de todas as seis eleições que Lula já disputou e a mais ampla aliança entre os candidatos que concorrem à presidência neste ano. O amplo arco de alianças dará à chapa Lula-Alckmin o maior tempo de TV,

O registro da candidatura foi feito pela representante da Coligação, Gleisi Hoffmann, e pelos escritórios Aragão e Ferraro Advogados e Zanin Martins Advogados.

O prazo para a definição de coligações formais encerrou na última sexta-feira (5/8). A partir de agora, novos apoios poderão acontecer de maneira informal. Há expectativa de que outros partidos passem a se somar à campanha de Lula, como é o caso do PROS. O PSD de Gilberto Kassab até agora declarou-se neutro, mas a Coligação Brasil da Esperança trabalha para que ele passe a integrar o arco de alianças.

A redução do número de candidatos à presidência e a ampliação dos apoios é importante para quem quer resolver a eleição já no primeiro turno. O ex-presidente Lula já declarou que quer ganhar o “quanto antes”. A possibilidade de golpes ou tentativas de não reconhecer o resultado das urnas também se reduziria com uma vitória no primeiro turno.

Comunicamos que estamos em manutenção

  Estamos melhorando a roupagem do Blog !  Em breve estaremos de volta . Agradecemos   compreensão !