7 de setembro de 2019

Bolsonaro presta homenagem aos Estados Unidos no 7 de setembro

 
Jair Bolsonaro, que governa para atender aos interesses de Donald Trump e colocou o Brasil em seu momento de maior submissão internacional de toda a sua história, escreveu uma mensagem de 7 de setembro, em que presta homenagem aos Estados Unidos, país para o qual bate continência. Confira abaixo a mensagem postada por ele, na companhia de Edir Macedo e Silvio Santos, dois empresários de comunicação, donos da Record e do SBT, que aderiram ao bolsonarismo:

- Estados Unidos foi o primeiro país a reconhecer nossa independência.
- Em todo o Brasil, com o povo, hoje comemoramos essa data.
- Em Brasília, às 09h, com muita honra assistirei ao desfile cívico-militar.

6 de setembro de 2019

Frota ameaça revelar bunker da “milícia virtual de Bolsonaro”

 Crítico ao governo Jair Bolsonaro, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), que era do PSL, ameaça agora revelar onde está montado o bunker onde funciona a 'milícia virtual' que distribui fake news e trava a guerra nas mídias digitais em defesa de Jair Bolsonaro (PSL).
O tucano publicou no Twitter uma foto do grupo, que seria liderado pelo blogueiro Allan dos Santos. “Esse é Allan dos Santos o de boné é um dos que comanda a milicia virtual do Bolsonarismo ele e esses três que agora andam soltos na Câmara. Ainda vou descobrir onde está montada a Base (eu já sei que é em Brasília.)", acrescenta.
O deputado afirma ter "informação de que dois gabinetes da Câmara, de onde 'saem ataques brutais', abrigam milicianos virtuais de Bolsonaro".

No exterior, mídia divulga conflito de Bolsonaro com o papa Francisco

O jornalista Nelson de Sá, colunista da Folha de S.Paulo, informa que o conflito de Jair Bolsonaro com Igreja Católica sobre Amazônia chegou ao exterior. Trata-se de uma contradição que tende a se manifestar com força durante o Sínodo da Amazônia, que deve tratar temas como desmatamento

5 de setembro de 2019

Notícia

Método simples para tirar uma candidatura da eleição -

Governo alerta servidor sobre possível “reação letal” do Exército no 7 de Setembro

O mesmo governo que estimulou as pessoas a irem para as ruas de roupa verde e emarela no próximo sábado, 7 de Setembro, agora alertou servidores para que fiquem longe das janelas nesta data, a fim de não confundirem o que chamam de "Observadores do Exército".
Segundo reportagem do site Metrópoles, o Executivo enviou um comunicado oficial aos servidores do Ministério da Ciência, Inovação e Tecnologia (MCTIC) orientando-os a não serem confundidos com possíveis ameaças e para que assim os agentes do Exército não reajam de forma “ostensiva e até letal”.
"Exército estará com equipes nos Ministérios a partir de 5h", avisa o texto.
O governo Bolsonaro passou por outra polêmica recente envolvendo atiradores de elite, quando inaugurou o novo aeroporto de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, e posicionou os atiradores no teto no do terminal.
 Leia aqui a íntegra.

Cúpula da PF cobra demissão de Moro antes que ele seja mais humilhado e vários delegados peçam para sair


Na opinião de policiais próximos de Moro, o ex-juiz deveria reagir rápido — para poder sair do governo com pelo menos “algum crédito”, informa a jornalista Mônica Bergamo. Nos últimos dias, Jair Bolsonaro deixou claro que vai intervir no comando da Polícia Federal e criticou a "babaquice" dos policiais que se opõem a isso. O objetivo de Bolsonaro é blindar seu clã

.
247

4 de setembro de 2019

Procuradores da Lava Jato na PGR entregam cargos em protesto contra Raquel Dodge

Os procuradores que integram a força-tarefa da Lava Jato na Procuradoria-Geral da República pediram demissão coletiva na noite desta quarta-feira (4).
Os seis procuradores - Raquel Branquinho, Maria Clara Noleto, Luana Vargas, Hebert Mesquita, Victor Riccely e Alessandro Oliveira, não citam detalhes do motivo. Em comunicado, atribuíram a uma "grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF na data de ontem (03.09.2019)". 
Segundo o jornal O Globo, a insatisfação se deve a uma manifestação de Dodge sobre a delação premiada do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro. Dodge enviou a delação de Léo Pinheiro na terça-feira pedindo para homologar o acordo. 
A insatisfação, porém, se deveu ao fato de que Dodge pediu para arquivar preliminarmente trechos da delação que acusam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e um irmão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.  
Veja o comunicado dos procuradores:
“Devido a uma grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF na data de ontem (03.09.2019), decidimos solicitar o nosso desligamento do GT Lava Jato e, no caso de Raquel Branquinho, da SFPO. Enviamos o pedido de desligamento da data de hoje. Foi um grande prazer e orgulho servir à Instituição ao longo desse período, desempenhando as atividades que desempenhamos. Obrigada pela parceria de todos vocês. Nosso compromisso será sempre com o Ministério Público e com a sociedade.”

Traídos pelo governo, caminhoneiros já pedem 'Fora, Bolsonaro'

 
Nota da coluna Painel S.A. da Folha de S.Paulo informa que cresce na categoria um movimento de oposição ao governo Bolsonaro. Um grupo quer bloquear as estradas com faixas de "Fora, Bolsonaro". 
Segundo a coluna, há um racha entre líderes de caminhoneiros, que cresceu nesta terça-feira (3), quando planejavam manifestações em defesa da tabela do frete. Os mais antigos se negam a protestar e pedem foco na negociação com o governo, mas novatos prometem vias fechadas com faixas de "Fora, Bolsonaro".  
O julgamento da tabela do frete estava marcado para esta quarta (4), mas foi adiado.  
Marcelo da Paz, líder caminhoneiro de Santos, disse ter desistido da ideia de parar o porto e incentivar greve quando ouviu áudios nos grupos de Whatsapp de motoristas ameaçando tombar caminhões dos que tentassem trabalhar e depois incendiá-los.  
Os caminhoneiros que defendem diálogo com o governo dizem que se darão por satisfeitos se forem tomadas medidas para a contratação de autônomos sem a participação de intermediários e a adoção obrigatória de sistema eletrônico que garanta o pagamento dos pisos mínimos.   
Líderes do outro setor dos caminhoneiros dizem que vão à greve por se sentirem traídos pelo governo Bolsonaro após o adiamento do julgamento sobre a constitucionalidade da tabela. 

3 de setembro de 2019

Roda Viva apresenta o túmulo do jornalismo 3 de setembro de 2019

glenn roda viva
Diante de um dos mais importantes jornalistas do mundo e de uma pauta absolutamente instigante – os vazamentos do Telegram – a âncora do programa e a maioria dos repórteres presentes desandaram, inacreditavelmente, a fazer uma defesa rasa, servil da Lava Jato.
Trata-se de mais um subproduto do antipetismo: a falência, nas redações da mídia nacional, do pensamento crítico e da ousadia intectual.
De tanto se anular como repórter, o jornalista médio da imprensa brasileira tornou-se uma sombra do pensamento conservador, ora submisso, ora uma besta fera tola e irracional, a serviço dos interesses do patrão.
Tornaram-se, todos, tarefeiros.
Diante de um profissional como Glenn, acuados pela própria covardia, derretem-se em platitudes, incoerências e narrativas encomendadas.
As mais tristes, as mais deploráveis.
 Leandro Fortes, jornalista

Governo Bolsonaro corta verbas de programas sociais em 2020

Reportagem dos jornalistas Thiago Resende e Fábio Pupo na Folha de S.Paulo desta terça-feira (3) aponta que o governo Bolsonaro corta verbas do orçamento dos programas sociais em 2020, atingindo principamente programas como Minha Casa Minha Vida e Bolsa Família. 
A proposta orçamentária da dupla Jair Bolsonaro-Paulo Guedes é a principal demonstração do caráter neoliberal e antissocial do governo  Segundo a reportagem, o governo reduziu os recursos de ações voltadas à população mais vulnerável e de medidas que buscam reduzir as desigualdades no país.  
"A maior tesourada foi no Minha Casa Minha Vida. A previsão para o programa habitacional caiu de R$ 4,6 bilhões, em 2019, para R$ 2,7 bilhões na projeção do próximo ano", informa a reportagem. Criado no governo do PT, há dez anos, agora sob o governo Biolsonaro, o Minha Casa MINha Vida terá o menor orçamento da história.  Já em 2019, o ritmo do Minha Casa Minha Vida é bem menor que em anos anteriores. Até julho, o programa recebeu R$ 2,6 bilhões do Tesouro, segundo a Folha.    
O Orçamento do governo Bolsonaro atinge em cheio também o Bolsa Família, programa social do governo Lula que transfere renda para famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza.   "Para 2020, estão reservados os mesmos R$ 30 bilhões que devem ser gastos com o programa neste ano. Isso, na prática, representa redução no tamanho do Bolsa Família, pois não há correção pela inflação".
247

2 de setembro de 2019

Front Stage – Prefeitura terá que reservar 1.200 acessos ao cumprimento da Lei da Meia Entrada

“Estudante, idosos, pessoas com deficiência e seus acompanhantes e jovens de baixa renda tem direito a meia entrada no Front Stage” diz Ministério Público
Hoje o Jornalista José Antonio Nunes, o vereador Renato Alves acompanhando do presidente da AERN. Silzomar Bessa fomos a promotoria para exigir o cumprimento da lei da meia entrada que dar direito ao estudante, idosos e deficiente a meia entrada na compra dos acessos ao Front Stage que será montado na Praça de Eventos durante a 23• Finecap.
Destacamos e parabenizamos a coragem e o desprendimento do vereador Renato Alves que foi a única voz na casa do povo que teve a coragem de lutar pelo direitos dos estudantes.
O ministério público através do promotor substituto Dr Paulo Roberto Andrade Freitas recomendou ao município de Pau dos Ferros que faça cumprir a lei 12.933/13 que dar direito a meia na compra dos acessos ao Front Stage. Dr Paulo ainda citou a lei 10.741/2003 que dar direito ao idoso o desconto de 50% do valor dos acessos ao Front Stage.
Caso descumpra a recomendação o prefeito deverá responder judicialmente.
RECOMENDAMOS – Ao estudante devidamente regularizado com sua carteira que não conseguir comprar os acessos com o desconto que registre o fato a autoridade policial que deverá dar ordens de prisão pelo descumprimento da medida recomendada pelo Ministério Publico.
Do blog folharegional

Brasil arrependido: Haddad venceria Bolsonaro se eleição fosse hoje

Se o segundo turno da eleição para presidente da República fosse hoje, Fernando Haddad (PT) seria eleito com 42% dos votos, contra 36% de Jair Bolsonaro (PSL). É o que aponta a pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (2). Outros 18% votariam branco ou nulo e 4% não souberam responder.
No segundo turno da disputa presidencial do ano passado, em 28 de outubro do ano passado, Bolsonaro conseguiu 55,13% dos votos válidos (excluídos brancos, nulos e indecisos). Haddad obteve 44,87%.
Atualmente, a reprovação de Bolsonaro supera a sua aprovação. Passados oito meses de governo, o percentual dos que não aprovam a sua gestão aumentou de 33%, na pesquisa Datafolha feita em julho, para 38%. Foram ouvidas 2.878 pessoas com mais de 16 anos em 175 municípios.
A aprovação de Bolsonaro caiu de e 33% em julho para 29% agora. 

1 de setembro de 2019

Bebianno detona Bolsonaro

 Ãudios de Bebianno provam que o mentiroso é Jair Bolsonaro
O ex-ministro Gustavo Bebianno publicou artigo neste fim de semana em que detona de vez Jair Bolsonaro. Segundo ele, o ex-aliado age de maneira infantil e impulsiva e destrói os interesses de longo prazo do Brasil. "Pela evidente incapacidade de aprender, pela dor ou pelo amor, o presidente vem se incumbindo de destruir todas as relações diplomáticas tradicionalmente cultivadas pelo Brasil". afirma. Leia, abaixo, a íntegra de seu artigo.
Por Gustavo Bebianno, em artigo publicado originalmente no jornal O Globo – Conceito comum entre filósofos e líderes espiritualistas é que nós, seres humanos, evoluímos de duas maneiras, ou pela dor ou pelo amor. Raramente, o processo se dá pela segunda via. A verdade é que somos todos encrenqueiros. Sempre achamos que temos razão em tudo, e é bem fácil criticar, julgar, condenar e atacar. Esse é o nosso perfil médio. Quando melhoramos, episodicamente, é pela via da dor, causada pelas consequências das próprias atitudes. Somos todos “farinha do mesmo saco”, com variações mínimas.
Não obstante, chamam a atenção alguns casos, que se destacam pelo excesso de beligerância, intensidade e constância. O presidente da República parece ser um ponto fora da curva, aparentemente incapaz de aprender por qualquer das duas vias.
Enquanto deputado federal, não filtrava palavras. Usava dessa estratégia para ganhar algum destaque no ambiente que não lhe dava a menor importância. Naquele tempo, as consequências de suas atitudes eram suportadas por ele próprio, exclusivamente. No famigerado atrito com a deputada Maria do Rosário, para mencionar apenas um exemplo, acabou oferecendo à rival, de mão beijada, a munição que a ela interessava. Virou réu em duas ações judiciais, uma cível e outra criminal. De brinde, ainda foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República numa terceira ação. Mais do que isso, angariou contra si a antipatia de milhões de mulheres, as críticas severas da imprensa, mais o rótulo internacional de misógino. Conviveu, durante meses, com a angústia de sofrer condenação criminal antes do pleito e enfrentar teses inimigas de uma suposta inelegibilidade. Parece que nada disso serviu de lição!
Hoje, não é mais um deputado do baixo clero, mas o líder máximo da nação, a oitava economia do planeta. As consequências de seus pronunciamentos impõem a todos os brasileiros uma fatura a pagar. O discurso e a postura do presidente constroem, ou destroem, a imagem do nosso país. A Amazônia desperta diferentes interesses internacionais. Dependemos de habilidade diplomática para manter a cobiça estrangeira à distância e a nossa soberania respeitada. Não será com ofensas, beligerâncias, fanfarronice, bravatas e falta de educação que defenderemos nossos interesses.
Ao atacar os líderes europeus, de forma impulsiva, o presidente compromete a imagem do país e coloca em risco nossos interesses comerciais. Ironias de cunho pessoal não só dificultam as relações, como despertam o rancor entre os chefes de Estado — o que, obviamente, não resultará em nada positivo para o Brasil. Pela evidente incapacidade de aprender, pela dor ou pelo amor, o presidente vem se incumbindo de destruir todas as relações diplomáticas tradicionalmente cultivadas pelo Brasil. Assim como fez com a deputada, insiste em oferecer, gratuita e desnecessariamente, toda a munição que interessa àqueles que têm os olhos voltados para a Amazônia. Muito em breve, o preço será pago por todos nós.
O mínimo que se espera do presidente da República é que tenha discernimento e compreenda o seu atual papel. E, nesse caso particular, que entenda que a Europa não é igual a Maria do Rosário.
Gustavo Bebianno é advogado e foi secretário-geral da Presidência da República
247

Comunicamos que estamos em manutenção

  Estamos melhorando a roupagem do Blog !  Em breve estaremos de volta . Agradecemos   compreensão !