15 de junho de 2019

INTERCEPT INDICA QUE PRÓXIMA BOMBA DA VAZA JATO SERÁ CONTRA A GLOBO

Novas Revelações apontam os crimes que Juiz procuradores e Ministério Público cometeram contra o ex - Presidente Lula


GREENWALD: A CADA MENTIRA, NÓS PUBLICAREMOS A PROVA DE QUE MORO ESTÁ MENTINDO 

Moro orientou Dallagnol a fazer delação seletiva no caso Odebrecht

REUTERS/Rodrigo Paiva: <p>Prédio da construtora Odebrecht, em São Paulo. 19/06/2015 REUTERS/Rodrigo Paiva</p>

'DIRETO NA JUGULAR', DISSE PROCURADOR AO DEFENDER USAR MORTE DE DONA MARISA PARA ATACAR LULA

Ricardo Stuckert

Ex-procurador da Lava Jato, que mandou ir na 'jugular' de Lula usando Marisa, ataca The Intercept

: <p>procurador Carlos Fernando dos Santos Lima</p>


14 de junho de 2019

Greve Geral - Imagens do Ato Público em Pau dos Ferros contra a Reforma da Previdência




















URGENTE: MORO MANDOU PROCURADORES ATACAREM LULA E SUA DEFESA NA IMPRENSA

Servidores Municipais e Estudantes de Água Nova participarão da movimentação em Pau dos Ferros hoje a tarde

Nenhuma descrição de foto disponível.

ATÉ VEJA ABANDONA MORO E O VÊ 'DESMORONANDO'


Revista Veja, que liderou a campanha de propaganda contra o ex-presidente Lula e ajudou a transformar o ex-juiz Sergio Moro em herói, decidiu abandoná-lo; capa da edição desta semana diz que ele 'desmoronou' e o aponta como criminoso por diálogos com 'claras transgressões à lei'; também acusado de ser criminoso pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, Moro se escora em Jair Bolsonaro e diz que não irá renunciar ao cargo de ministro da
247

13 de junho de 2019

Estamos acompanhando o Plantão da Greve

Greve Geral começando agora!

14 de junho: Greve Geral - Créditos: Carlos Latuff

Idema realiza Oficina de Legislação Florestal para gestores do Alto-Oeste



Idema realiza Oficina de Legislação Florestal para gestores do Alto-Oeste
O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, realiza nesta quarta e quinta-feira (12 e 13/06), uma oficina sobre Legislação Florestal para gestores dos órgãos ambientais dos municípios do Território Alto-Oeste. A atividade é uma parceria entre o Núcleo de Apoio à Gestão Ambiental dos Municípios do RN (Nagam) e setor Florestal do órgão.
A oficina acontece em decorrência das demandas apontadas pelo Diagnóstico Socioambiental acerca da realidade dos Sistemas de Meio Ambiente dos municípios do RN, realizado pelo Idema.
Segundo a supervisora do Nagam, Iracy Wanderley, “o momento é importante para ressaltarmos a necessidade dos municípios trabalharem em conjunto com o órgão ambiental, mostrando que estamos dispostos a auxiliar no que for preciso. Além disso, a realização de atividades integradas entre os setores do Idema é fundamental e é uma das prioridades da atual gestão do Instituto”, afirmou.
A oficina acontece no campus do IFRN em Pau dos Ferros e é ministrada pelos técnicos Rodolfo Barreto (setor Florestal) e Julyana Ramalho (Nagam).
“Através da atividade pudemos apresentar as atribuições do Setor Florestal no RN, documentos técnicos para legalização das atividades, implantação do Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor) e discutir diversos outros pontos sobre a legalização da exploração da madeira e autorização da supressão vegetal para as diversas atividades econômicas do Estado”, disse Rodolfo Barreto.
Participam da atividade os municípios: Coronel João Pessoa, Pau dos Ferros, Encanto, Viçosa, Luís Gomes, Água Nova, Marcelino Vieira, São Miguel e Frutuoso Gomes.
ASCOM/IDEMA

GENERAL SANTOS CRUZ, ALVO DE OLAVO E FILHOS DE BOLSONARO, DEIXA GOVERNO

STF TENDE A DECLARAR MORO SUSPEITO NO DIA 25



A Operação Lava Jato e seu condutor, o ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro serão julgados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no próximo dia 25; a ala garantista do STF pretende usar o julgamento do pedido de habeas corpus da defesa do ex-presidente Lula para declarar a suspeição de Moro no processo que condenou o líder popular à prisão.

INTERCEPT PUBLICA NOVOS DIÁLOGOS DE MORO E DALLAGNOL QUE REFORÇAM PARCIALIDADE DA LAVA JATO

12 de junho de 2019

Última: DIÁLOGO INÉDITO DA VAZA JATO REVELA APOIO DO MINISTRO FUX

GLOBO PARTE PARA GUERRA TOTAL CONTRA GREENWALD

Em Brasília, Fátima reforça necessidade de aprovação do novo Fundeb



A governadora Fátima Bezerra voltou a defender a necessidade dos governadores buscarem junto ao Congresso Nacional a aprovação da proposta para incluir o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) na Constituição Federal e ampliar a participação financeira da União no financiamento. O fundo representa mais de 60% do valor aplicado na educação básica pública brasileira e tem vigência até o fim de 2020.
O posicionamento em torno da aprovação foi reforçado em razão da carta encaminhada pelo Governo Federal ao Fórum dos Governadores comunicando que não irá apoiar a proposta formulada pela governadora do Rio Grande do Norte e aprovada pelo Fórum no fim de abril. “É inaceitável a posição do Governo Federal, que se limitou a dizer que vai apenas prorrogar o Fundeb por 10 ou 15 anos e desconsidera por completo os eixos centrais da proposta dos governadores: tornar o Fundeb uma política permanente e a ampliação da participação financeira da União”, comentou a governadora.
O assunto foi discutido durante a 5ª reunião do Fórum dos Governadores, em Brasília, nesta terça-feira, 11. “Pautei o debate aqui para darmos prosseguimento à nossa luta pela proposta que foi feita em sintonia com a Undime (União dos Dirigentes Municipais de Educação), Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) e demais entidades ligadas à educação. O novo Fundeb que o Brasil precisa não é apenas com prazo prorrogado, mas como política de Estado e com a ampliação do financiamento”, completou Fátima Bezerra.
No início do ano a governadora do RN foi designada pelo Fórum dos Governadores como relatora da proposta sobre o novo Fundeb. A proposição apresentada, além de incluir o fundo de financiamento da educação na Constituição, pretende aumentar gradativamente a complementação financeira da União, que é realizada quando os estados não atingem o valor mínimo de investimento por aluno. Atualmente o valor repassado pelo Governo Federal é de 10%. A ideia apresentada pelos governadores é promover um salto de 10% para 40%, sendo de 10% para 20% logo no primeiro ano de vigência do novo Fundeb e de 20% para 40% em 10 anos, com ampliação de 2% ao ano.
A proposição dos estados já tramita na Comissão de Educação do Senado Federal como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 65/2019. A comissão já realizou três audiências públicas para tratar do tema, uma delas com a presença da governadora Fátima Bezerra. A PEC está sob a relatoria do senador Flávio Arns (Rede-PR), que defende a reformulação do Fundeb e sua inclusão na Constituição Federal.
O Fundeb foi aprovado pelo Congresso em 2006 e regulamentado pelo Governo Federal em 2007, em substituição ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), que vigorou de 1998 a 2006. O fundo de financiamento é formado por parte de tributos como ICMS e IPI exportação, além de parcelas dos fundos de participação dos Estados (FPE) e dos Municípios (FPM).
Previdência

Os 25 chefes de governos estaduais que participaram da 5ª Reunião do Fórum de Governadores condicionaram o apoio à reforma da Previdência à exclusão, no texto final da matéria, dos pontos relativos a previdência rural, benefício de prestação continuada (BPC), desconstituicionalização, e relativo à criação de um regime de capitalização do benefício.

Alguns governadores disseram que o apoio dependerá, ainda, da inclusão de pontos relativos à redução, de 60 para 55 anos, da idade mínima para a aposentadoria de professoras, e a eliminação de alguns privilégios dado a policiais militares.
A reunião desta terça-feira, 11, contou ainda com a participação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; do presidente da Comissão Especial da Reforma da Previdência, Marcelo Ramos; do relator do projeto, Samuel Moreira (PSDB-SP); e do Secretario Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, Rogério Marinho.
Os únicos estados que não foram representados por seus governadores foram o Amazonas e o Maranhão. O próximo encontro de governadores foi marcado para o dia 6 de agosto.
agorarn

Comunicamos que estamos em manutenção

  Estamos melhorando a roupagem do Blog !  Em breve estaremos de volta . Agradecemos   compreensão !