27 de outubro de 2018

26 de outubro de 2018

AS RUAS DO BRASIL SÃO DE FERNANDO HADDAD

247

Agentes do Estado invadem universidades em todo o país às vésperas do 2º turno

Polícia federal invadiu nesta manhã a sede de sindicato docente em Campina Grande, Paraíba / Reprodução/Montagem
Com a proximidade do segundo turno, fiscais de tribunais eleitorais, policiais federais e militares, a mando de juízes ou seguindo a solicitação de estudantes, invadiram universidades públicas em todo o país para interrogar, intimidar e apreender materiais, além de ordenar a retirada de comunicados do ar. A prerrogativa usada pelos juízes é a de que os materiais constituem campanha para o candidato Fernando Haddad (PT).
Na manhã desta quinta-feira (25), policiais federais armados adentraram Associação Docente da Universidade Federal de Campina Grande (ADUFCG) obedecendo a um mandado de busca e apreensão, expedido pelo juiz eleitoral Horácio Ferreira de Melo Junior, para recolher o “Manifesto em Defesa da Democracia e da Universidade Pública”, assinado pela entidade sindical e aprovado pela categoria em Assembleia. Eles também levaram o HD do computador da assessoria de imprensa do sindicato docente.
"Esse manifesto tem esse teor, [e repercute] a defesa irrestrita do nosso sindicato, o Andes, da democracia, das liberdades democráticas, da defesa da universidade pública, gratuita e de qualidade, laica, socialmente referenciada. Não é um material ou manifesto que faz menção à defesa de uma candidatura ou de outra. É claro que o teor político do manifesto acaba se chocando com uma candidatura que de certa forma vai de contrário a essa bandeira”, contou Tiago Neves, professor de psicologia e diretor social da ADUFCG.
Manifesto apreendido pela PF da ADUFCG. Foto: Reprodução
Ainda na Paraíba, homens, que se apresentaram como membros do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), estiveram na quarta-feira (24) na Universidade Estadual da Paraíba para interrogar uma professora.
“Fiscais sem documentos comprobatórios, com a jaqueta do TRE, invadiram a sala de aula de uma professora para investigar a denúncia de que estaria acontecendo propaganda para um candidato. Obviamente que não estava. A professora estava trabalhando um conteúdo a partir da exibição de um filme e eles foram embora”, disse o presidente da associação docente da universidade, Nelson Júnior, em declaração nas redes sociais.
“Queremos que os professores continuem trabalhando com os seus conteúdos. A liberdade do debate político está presente na nossa sociedade. Não pode pedir voto nos espaços da universidade, mas pode discutir o conteúdo político e programático. Afinal de contas vivemos em uma democracia”, protestou o presidente da associação.
Em outro episódio, na terça-feira (23), policiais invadiram a Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, para remover uma bandeira antifascista, que não continha qualquer menção à nenhum dos candidatos. A Universidade Federal de São João Del Rei (MG) recebeu também nesta quarta-feira um Mandado de Notificação que ordena a retirada do ar da Nota da Universidade Federal de São João del-Rei a favor dos princípios democráticos e contra a violência nas eleições presidenciais de 2018, assinada pela Reitoria da instituição. Eles têm 48h para retirar o conteúdo do ar.
Primeiros parágrafos do manifesto da UFSJ. Foto: Reprodução;
“A violência que atinge hoje grupos minoritários de nossa sociedade - negros, índios, quilombolas, LGBTI+, pessoas com deficiência, mulheres - está se alastrando para grupos que sejam contrários à doutrina de um dos candidatos. A própria universidade, ambiente necessariamente democrático, plural, de produção de conhecimento, arte e cultura tem sua própria existência ameaçada nesse contexto de violência e de desrespeito à democracia”, afirma a nota da universidade.
Enquanto dava uma aula sobre fake news, na disciplina de Mídias Sociais, do curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual do Pará (UEPA), o professor Mário Brasil teve sua aula invadida pela Polícia Militar. O acontecido foi relatado em nota pública do Sindicato dos Docentes da UEPA:
“O professor Mário Brasil relatou que, durante uma de suas aulas, ao solicitar aos alunos que fotografavam seus slides, falou, em tom de brincadeira, que os mesmos não fizessem Fake News com aquelas imagens. Por isso, uma das alunas se ofendeu, entendendo como indireta à sua pessoa e se retirou da sala. Posteriormente, o pai da referida aluna entrou na universidade acompanhado de policiais que abordaram o docente inquirindo-o e coagindo-o a se deslocar à delegacia para prestar esclarecimentos. O professor sabiamente se recusou e informou que somente compareceria acompanhado do seu sindicato e advogados e buscou o diálogo entre os presentes. Neste momento, os policiais desistiram da ação”, informou.
Para o geógrafo e professor da UEPA, Daniel Sombra, o acontecido “constitui um claro precedente contra a autonomia universitária, a pluralidade de pensamento, o respeito às tradições das ciências sociais e o cerceamento à liberdade de pensamento”.
Em outra violação da autonomia universitária, o juiz Rubens Witzel Filho emitiu, nesta quinta-feira (25), um mandado de notificação para a Universidade da Grande Dourados (MS) proibindo a realização da aula pública “Esmagar o fascismo”, que seria realizada no mesmo dia, às 10h, nas dependências da universidade.
Mandado usado na Universidade Federal de Campina Grande. Foto: Reprodução
Lembranças de chumbo
Para Eleonora Menicucci, socióloga e professora titular de saúde coletiva da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), a situação é de preocupação e apreensão, dado que esses ataques representam um duro golpe contra a autonomia universitária.
“A única época em minha história de vida em que não tiveram, em que não tivemos, foi na época da ditadura civil-militar. Mesmo assim, custou-se para invadir as universidades e isso me preocupa enormemente. É uma censura ao pensamento, é uma censura ao conhecimento e ao saber”, afirmou a socióloga.
Menicucci ressalta que pensamento, conhecimento e saber só são o que são se estão dentro de uma prática social: “E essa prática social é a manifestação dos contrários. Os estudantes e professores e funcionários que são o tripé que compõe a universidade, tem que ter inteira liberdade de se manifestar”. 
Pontífica Universidade Católica de São Paulo, PUC-SP, que teve seu campus invadido pelas forças de repressão em 1977, com a prisão de diversos estudantes, e seu teatro incendiado, se manifestou hoje para "repudiar toda manifestação de ódio, intolerância e constrangimento de qualquer ordem, contrária à igualdade individual e coletiva, política, econômica, social, racial e de gênero, do conjunto da população brasileira, conforme o que estabelece a Constituição".
A nota afirma que "atualmente encontra-se em risco a defesa dos interesses do povo brasileiro, de seus trabalhadores, bem como dos mais frágeis e vulneráveis, que constitui o alvo prioritário de nossas ações" e declararam se juntar "aos que conclamam por um amplo movimento de união que permita um futuro com a garantia da justiça social e a plenitude de acesso ao bem-estar pelo conjunto do povo brasileiro."
Edição: Katarine Flor

25 de outubro de 2018

Os candidatos encerram à meia noite de hoje as reuniões públicas e comícios.

Image result for Os candidatos encerram à meia noite de hoje as reuniões públicas e comícios.

Apenas os comícios de encerramento de campanha podem se prolongar por mais duas horas.
Sexta-feira
Amanhã é o último dia da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.
As propagandas pagas em imprensa escrita também ficam proibidas depois desta data.
Sábado
Último dia para propaganda eleitoral em carros de som e alto-falantes das 8h às 22h.
Também é o último dia para a distribuição de material gráfico, realização de carreatas e caminhadas, que podem acontecer até as 22h.

CUT/VOX POPULI: COM APENAS 5 PONTOS DE DIFERENÇA, VIRADA ESTÁ NO HORIZONTE

Ricardo Stuckert

A nova rodada da pesquisa CUT/Vox Populi realizada nos dias 22 e 23 (terça e quarta) apresenta números idênticos ao do levantamento realizado nos dias 16 e 17; a diferença entre Haddad e Bolsonaro é de apenas 5 pontos nos votos totais e 6 pontos nos válidos; 44% para Bolsonaro e 39% para Haddad nos votos totais e 53% a 47% nos válidos

HADDAD: EVANGÉLICOS FORAM TRAÍDOS PELAS MENTIRAS DE BOLSONARO

23 de outubro de 2018

Os votos e os prefeitos do deputado Raimundo Fernandes que estão no palanque de Fátima no 2º turno


O deputado Raimundo Fernandes apresentou a Fátima Bezerra os prefeitos de suas bases eleitorais que apoiam sua candidatura ao governo agora no segundo turno.
Raimundinho, de José da Penha, é o único prefeito do PDT de Carlos Eduardo.
Ele apoiou Robinson no 1º turno e passa a apoiar a senadora.
Em Jose da Penha Fátima ganhou com 2.171 votos contra 735 de Robinson e 270 de Carlos Eduardo.
Manoel Veras de Campo Grande.
Do DEM, votou em Carlos Eduardo e agora está com Fátima.
Em Campo Grande Fátima ganhou com 3.571 votos contra 1.157 de Carlos Eduardo e 561 de Robinson.
Antônio Lopes, do PSB, o vice Eleno e o chefe político de Coronel João Pessoa, Pachica, também trocaram o palanque de Carlos pelo de Fátima.
Em Coronel João Pessoa Fátima ganhou com 1.303 votos contra 702 de Carlos Eduardo e 274 de Robinson.
Candidato a federal, Bertone Marinho representou a prefeita Fátima, de Canguaretama, que estava com Carlos Eduardo e agora apoia Fátima, seguindo o deputado aliado.
Em Canguaretama Fátima ganhou com 10.809 votos contra 3.190 de Carlos Eduardo e 681 de Robinson.
Prefeita e ex-prefeito de Serra Caiada, Socorro e Faustinho apoiaram Robinson e no segundo turno optaram por Fátima.
Em Serra caiada Fátima ganhou com 2.431 votos contra 1.827 de Robinson e 835 de Carlos Eduardo.

IBOPE: BOLSONARO TEM 57% E HADDAD, 43%

ABr | Reuters

Levantamento do Ibope divulgado nesta noite mostra que a diferença entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro caiu quatro pontos percentuais; o candidato do PT a presidente subiu dois pontos, indo de 41% para 43%, enquanto o candidato da extrema-direita caiu de 59% para 57%.

APÓS FUGA DE BOLSONARO, GLOBO CANCELA DEBATE E NÃO ENTREVISTA HADDAD

Pela primeira vez, desde 1989, o país não terá debate entre presidenciáveis no segundo turno; a Rede Globo decidiu cancelar o debate agendado para o dia 26 de outubro depois de receber uma carta da campanha de Bolsonaro, liberado pelos médicos para participar, informado que o candidato "enfrenta limitações em virtude da bolsa de colostomia que carrega"; com isso, Haddad e Bolsonaro chegarão às urnas sem jamais terem se enfrentado em um debate direto.

22 de outubro de 2018

Ou o STF reage ou se cala para sempre

: <p>toffoli eduardo bolsonaro stf</p>

O colunista Alex Solnik escreve sobre a ameaça de Eduardo Bolsonaro de fechar o STF: "Esse foi o maior insulto e a maior ameaça que a instituição recebeu desde o fim da última ditadura"; e ascrecenta: "Ou o STF reage ou se cala para sempre. Tem que prender os bolsonaristas antes que eles nos prendam".
247

O CANDIDATO A DITADOR OFERECE AOS OPOSITORES A CADEIA OU O EXÍLIO

Em discurso transmitido ao vivo na Avenida Paulista, na tarde de ontem, Jair Bolsonaro se assumiu como candidato a ditador do Brasil. Na fala, ele, que é rejeitado por mais da metade dos brasileiros, ofereceu duas alternativas aos opositores: a cadeia ou o exílio. Prometeu ainda prender seu adversário Fernando Haddad e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), atacou a imprensa e afirmou que a polícia terá retaguarda para bater no lombo dos adversários. Confira o vídeo e a fala em que Bolsonaro se coloca como tirano.

21 de outubro de 2018

GENERAIS JÁ TRAÇAM 22 MEDIDAS PARA BOLSONARO

REUTERS/Paulo Whitaker

O plano inclui redução da maioridade penal, revisão da história da ditadura, corte de ministérios e relativização de mortes cometidas por policiais, informa o jornal Zero Hora. Além disso, invasão de propriedade será classificada como terrorismo, enquanto, nas escolas, voltarão as aulas de Moral e Cívica e haverá expurgo das obras de Paulo Freire.

Comunicamos que estamos em manutenção

  Estamos melhorando a roupagem do Blog !  Em breve estaremos de volta . Agradecemos   compreensão !