29 de junho de 2018

Pesquisa Ibope: Lula disparado na frente, com 33%; todos os demais somados têm 36%

: <p>lula</p>

A primeira pesquisa presidencial do Ibope do ano, contratada pela CNI, confirma: Lula segue disparado na frente, com 33% das intenções de voto, seguido por Jair Bolsonaro, com 15%, Marina Silva, com 7%, Geraldo Alckmin, com 4%, e Ciro Gomes, com 4%; Lula, no entanto, vem sendo mantido como preso político em Curitiba para não disputar uma eleição que ele venceria com facilidade; todos os demais candidatos somados têm 36%-

28 de junho de 2018

Lula: Novo pedido de liberdade e novo relator?

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta quinta-feira (28) uma nova ação noSupremo Tribunal Federal (STF). Os advogados do petista questionam a decisão do ministro Edson Fachin de remeter pedido de liberdade dele ao plenário em vez de julgamento na 2º Turma da Corte, responsável por casos da Lava Jato.
Os advogados esperam obter uma liminar que suspende a execução provisória da pena para que o ex-presidente possa aguardar em liberdade o recurso contra condenação no caso triplex do Guarujá.
O pedido defende que a ação, uma reclamação constitucional, seja sorteada entre os outros quatro ministros do da 2º Turma do STF (Ricardo LewandowskiToffoliGilmar Mendes e Celso de Mello), excluindo o relator Fachin. O sorteio deve ocorrer ainda na tarde desta quinta.
Nesta semana, o ministro Dias Toffoli votou pela suspensão da execução provisória da pena do ex-ministroJosé Dirceu, porém Fachin pediu vista, e a Segunda Turma liberou Dirceu até uma decisão definitiva. A defesa do ex-presidente espera obter resultado semelhante com a ação.
robsonpires

27 de junho de 2018

O que nos resta!


O que aflige o futuro do país é a ausência do acerto de contas com o seu passado autoritário. Nós simplesmente não conseguimos romper com as heranças culturais, políticas e institucionais plantadas pelas nossas experiências ditatoriais.
Este conjunto histórico de transições inacabadas nos legou uma ordem social essencialmente frágil, incapaz de projetar para frente um destino distinto de nossa tradição de exclusão e violência.
Misóginos, machistas, preconceituosos e racistas, estamos bem distantes da propalada – e sempre mal interpretada – cordialidade.
A escravidão, o latifúndio e as hierarquias de mando nos forjaram muito mais profundamente que o futebol e o carnaval. Nossa história não é nem a de malandros, nem a de heróis. É a história de genocídios sucessivos, de encarceramentos em massa, da exploração mais vil e sistemática de nosso povo e das execuções de jovens negros, sem processo.
Somos, assim, apenas o que nos permitiram ser, sem pedir licença, pela pura necessidade do capital.
Não somos o país do futuro, mas somente uma promessa de pagamento, um derivativo.
A democracia foi uma quimera, alimentada pelo frenesi constituinte de 1988 que, por sua vez, impregnou-se da ressaca do soçobro das diretas.
Dada a anistia ampla e irrestrita aos torturadores, temos agora sua apologia liberada ao Palácio do Planalto.
A ideia de representação política está sob sítio. Nossos parlamentares, sofrendo o estado de exceção.
O povo está submetido, mais uma vez, à angústia de ter que procurar o que comer.
E dadas as circunstâncias, parece que só haverá futuro garantido quando a democratização da barbárie, quando a dor de se saber excluído atingir os que aclamaram ativa ou silenciosamente a subtração das regras do jogo.
A nossa redenção, mais uma vez, pode ser que só se dê pelo sofrimento. Ou será que vale fazer uma ponte eleitoral com os representantes do dominiodo fato?
Essa conciliação, desculpem o chulo, é um acordo cara-cu. E nós sempre nos acoitamos para a lei e a ordem dos sertões, submissos diante do que consideramos fatalidade. Como um mantra, cortam-nos a cabeça.
Ainda assim insistimos. Sabemos que o confronto pega primeiro quem mais precisa.
Mas lidamos, enfim, com a explicitação do nosso destino, até então encoberto para nós, que somos jovens.
Para ficar claro: com a nossa história na cadeia, ninguém está mais a salvo.
Já pisaram em nossos jardins.
Não existe ninguém por nós, só nós mesmos.
É a nossa tragédia. E é preciso dizê-la.
Porque a tragédia é a pedagogia feita em catarse. É conservadora. Porém, ao mesmo tempo, civiliza.
É dela que extraímos, desde sempre, a lição do que não fazer, do que é proibido, porque fadado ao fracasso.

Desde Antígona, os nossos heróis morreram de sentenças judiciais. E é nessa tragédia que sempre nos tornamos narrativa, nação. Tragédia é interdição, mas também produz o novo.
Nos interditaram a política e o direito.
Nos tomaram até o caminho do velho, do acordo.
No acordo respiramos, sobrevivemos, mas perdemos. Sob as regras do jogo, sentimos a morte e a traição.
Hoje está mais claro que a palavra é resistência. Resistência é reconstrução. É a esperança de que, finalmente, acabem as ilusões. E que a sua lembrança não as faça róseas, mas que refunde a responsabilidade por vias que somente nós, unidos, podemos singrar.
Não deve haver, repito, ilusões. Deuses ex-Machina a nos levarem num carro alado.
Aprendamos a renascer como Fênix.
Saibamos escapar das burocracias contemporizardoras e encaremos o abismo da derrota.
Caiamos de pé.

É assim que poderemos ter um futuro inédito a celebrar. Futuro que honrará a nossa história. História de fé no outro, de fé na vida, de amor e de esperança.
Porque somos trabalhadores. Não somos burgueses, nem pretendemos ser senhores do mato de nossas senzalas.
Rogerio Dultra dos Santos

26 de junho de 2018

MANOBRA DE FACHIN PROVA QUE LULA ESTÁ SEQUESTRADO PARA NÃO SER CANDIDATO

Ao jogar para o plenário o pedido de liberdade de Lula, numa decisão que ficará para agosto, em meio ao processo de registro de candidaturas, o ministro Edson Fachin demonstrou, para quem ainda não havia entendido, que o ex-presidente Lula não é um presidiário, mas sim um cidadão sequestrado pelo Poder Judiciário, com uma única finalidade: não disputar as eleições presidenciais de 2018, que ele venceria com facilidade; ou seja: na prática, o Judiciário sequestrou a própria democracia.

25 de junho de 2018

Fátima defende direitos dos ACS E ACE


A senadora Fátima Bezerra comemorou com os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate a endemias a aprovação, na comissão mista, da Medida Provisória 827/18, que regulamenta direitos e benefícios para essas categorias. A matéria segue, agora, aos plenários da Câmara e do Senado.
O texto aprovado na comissão garantiu um aumento gradativo do piso salarial da categoria, chegando a R$ 1.550, em 2021.Também foi garantida a presença obrigatória de agentes de saúde na Estratégia de Saúde da Família, assim como também dos agentes de combate a endemias na estrutura de vigilância epidemiológica e ambiental.
Fátima também adiantou que, a bancada do PT destacará uma emenda de Plenário que trata do direito previdenciário, que assegura aos Agentes gozo de benefício previdenciário independente de contribuição no período que compreende janeiro de 1991 e dezembro de 2006, desde que seja comprovado o vínculo por meio da apresentação de documentos como contracheque, recibos de prestação serviços, agremiação em associação de classe e comprovantes emitidos pelas prefeituras municipais.
O texto aprovado pela Comissão Mista que examinou a MP garantiu ainda que, a cada dois anos, os agentes de saúde frequentem cursos de aperfeiçoamento, que serão organizados e financiados pela União, estados e municípios. Já o transporte desses profissionais, até os locais de trabalho, será financiado pelo estado ou município que o profissional estiver vinculado.

PETROBRAS FAZ ACORDO COM FUNDOS ABUTRE NOS EUA E ENTREGA US$ 3 BI A ESPECULADORES

REUTERS/Ricardo Moraes
 A Petrobrás confirmou na manhã desta segunda (25) que fechou acordo para pagamento antecipado de mais de R$ 10 bi (US$ 3 bi) a acionistas americanos antes de condenação judicial definitiva; é o pagamento do golpe aos fundos abutres, que apostaram contra a empresa na campanha movida pela Lava Jato e pela direita no processo de derrubada de Dilma Roussef .
Melhor conteudo está 247.

24 de junho de 2018

Charge do dia

Nenhum texto alternativo automático disponível.

PODER JUDICIÁRIO DECIDIU TORTURAR A NAÇÃO E O POVO


O absurdo da situação brasileira foi resumido por Roberta Luchsinger, em suas redes sociais. Se o povo brasileiro quer Lula presidente, como mostram todas as pesquisas, e ele é mantido preso ilegalmente, segundo aponta até o ministro Marco Aurélio Mello, enquanto o Brasil cai no fundo do poço econômico, a verdade é uma só: o Poder Judiciário tortura a nação brasileira e também sua população.
247

Lula condena judiciário que age fora da lei

Em nota divulgada na noite deste sábado, o boletim do Comitê em Defesa de Lula destaca a entrevista do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, que disse que o ex-presidente vem sendo mantido preso de forma ilegal. "Ninguém devolve ao cidadão a liberdade perdida", disse Mello. O boletim também destaca o artigo de Eugênio Aragão, ex-ministro da Justiça, sobre a chicana jurídica adotada pelo ministro Edson Fachin, também do STF, para que Lula seja mantido como preso político no Brasil, em pleno século 21.

Comunicamos que estamos em manutenção

  Estamos melhorando a roupagem do Blog !  Em breve estaremos de volta . Agradecemos   compreensão !