13 de janeiro de 2018

CENTRAIS E MOVIMENTOS SOCIAIS CONVOCAM O BRASIL A PORTO ALEGRE

Ricardo Stuckert
"Para impedir a candidatura do Lula vale tudo: condenação no tribunal de Porto Alegre, instituição do semiparlamentarismo e até adiar as eleições. Nenhuma das alternativas elencadas estão fora de cogitação. Compõem o arsenal de maldades de forças políticas que não prezam a democracia", diz trecho da nota assinada por diversas entidades, entre elas, Conam, UNE, Marcha Mundial de Mulheres, UGT e CTB.

12 de janeiro de 2018

Direto do Facebook de João Faria

É a simbiose da falsidade, aprimorada pela hipocrisia.

TRF-4 TERÁ FERIADO NO DIA DO JULGAMENTO DE LULA

O presidente do TRF4, Carlos Eduardo Thompson Flores, criou um feriado no dia do julgamento do ex-presidente Lula em Porto Alegre; Thompson determinou que não haverá expediente administrativo e judicial para os funcionários do tribunal que não estão envolvidos com o julgamento de Lula, em 24 de janeiro; todos os processos ficam parados, em função da decisão do tribunal de acelerar o processo contra Lula, para tentar retirá-lo, por meio de uma manobra judicial, da próxima disputa presidencial.
247

11 de janeiro de 2018

TEMER: QUEREM ME MATAR, MAS ESTOU ÓTIMO

Lula Marques/Agência PT


Em entrevista ao jornal Estado de S.Paulo, Michel Temer admite que muitos brasileiros desejam sua morte, mas diz que sua saúde vai “bem, obrigado”; "Passei por três cirurgias, tive infecção no fim do ano e nem pude passar quatro dias na praia, como gostaria, mas estou ótimo. Embora toda hora alguém queira me matar", afirmou; de acordo com pesquisa Ipsos, Temer, que conquistou o poder por meio de um golpe e executa uma agenda impopular e entreguista, só é aprovado por 3% dos brasileiros; peemedebista admitiu que seu sonho é minar ainda mais a democracia brasileira, aprovando o semipresidencialismo.
247

10 de janeiro de 2018

Comitê Em defesa da democracia e do direito de Lula ser candidato foi criado hoje em Pau dos Ferros


A imagem pode conter: 21 pessoas, pessoas sorrindo, área interna
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas e pessoas em pé

Deputado Fernando Mineiro(PT) 

A imagem pode conter: 1 pessoa, violão
Francisco Fernandes

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e violão
A imagem pode conter: 15 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas
Aconteceu na manhã de hoje em Pau dos Ferros a criação  do Comitê Popular em defesa da democracia e do direito de Lula ser candidato. 

Bota o retrato do Lula na Urna

“Bota o retrato do velho outra vez
Bota no mesmo lugar
O sorriso do velhinho
Faz a gente trabalhar
Eu já botei o meu
E tu, não vai botar?
Já enfeitei o meu
E tu vais enfeitar?
O sorriso do velhinho
Faz a gente trabalhar”

Planalto já encara candidatura de Huck como manobra política da Globo

Reprodução: <p>Huck Faustão</p>
Embora tenha chegado ao poder impulsionado por um golpe apoiado pela Rede Globo, Michel Temer não gostou nada de ver o discurso de candidato de Luciano Huck no último domingo em cadeia nacional; Planalto já encara gesto como manobra política da Globo; aliados de Temer dizem que o fato em si é um gesto político e que seria ingênuo acreditar que a direção da emissora não deu aval à programação; Planalto já aposta que impacto das declarações de Huck será apontado com clareza nas próximas pesquisas de intenção de voto

9 de janeiro de 2018

Operador diz que empreiteiro mentiu sobre conta de propina para Lula na Espanha

 | Ricardo Stuckert/PT
O operador Milton Pascowitch, colaborador da Operação Lava Jato, disse em depoimento à Polícia Federal que é falso o relato do ex-sócio da empreiteira Engevix, Gerson Almada, sobre uma suposta conta de propina na Espanha para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Leia você mesmo o processo contra Lula e confira a falta de provas

A imagem pode conter: 1 pessoa, meme e texto




Foto: Filipe Araújo
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será julgado em 24 de janeiro pelo TRF4 no processo do Triplex do Guarujá, pelo qual foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sérgio Moro em primeira instância. A perseguição judicial contra Lula já foi motivo de petição junto à ONU pela privação do ex-presidente a um julgamento justo e isento. Os advogados de Lula apontam a prática de lawfare, método que utiliza meios jurídicos para perseguição política. 
A Defesa de Lula já provou sua inocência. Leia a sentença você mesmo e tente explicar questões como qual a prova de que o apartamento era de Lula e qual foi o ato criminoso cometido pelo ex-presidente.   

8 de janeiro de 2018

Marchinha de carnaval composta pela Orquestra Royal para o carnaval de 2018.

A legitima Presidenta eleita do Brasil: Dilma Vana Rousseff,

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
Direto do Facebook de Patricia Rangel

TRF-4 FUROU A FILA E PASSOU JULGAMENTO DE LULA NA FRENTE DE OUTROS 7

A politização do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, líder absoluto em todas as pesquisas de intenção de voto, é cada vez mais evidente; o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) passou o julgamento de Lula na frente de outras sete ações da Lava Jato que chegaram à corte antes do que o recurso do petista; no caso de Lula, o recurso começou a tramitar no TRF-4 no dia 23 de agosto; foi o processo da Lava Jato que chegou mais rápido ao tribunal depois da condenação, em 42 dias, e o segundo mais célere a tramitar na segunda instância;  representantes do tribunal tentam minimizar importância da ordem cronológica, dizendo que ela não é obrigatória, apenas preferencial.

7 de janeiro de 2018

Golpe no Brasil foi tramado nos EUA para toda a América Latina

Stuckert
A ação da Justiça destinada a eliminar Lula da vida pública, impedindo-o de voltar à Presidência da República, não é um ato isolado, instrumentalizado pelo juiz Sergio Moro, mas parte de um plano muito mais amplo, concebido nos gabinetes do Departamento de Justiça norte-americano, abrangendo toda a América Latina e cujos sinais são vistos, além do Brasil, na Argentina, no Chile, no Peru e na Venezuela.
A eleição de Macri, na Argentina, e de Piñera, no Chile, parte desse plano, revela claramente a onda direitista que assola a América do Sul e teve o seu ponto alto no golpe que destituiu a presidenta Dilma Roussef, mas prossegue com as tentativas para derrubar Maduro, na Venezuela, e o movimento no Peru para votar o impeachment do seu presidente, Pedro Pabllo Kuczynski. O golpe do Brasil, no entanto, ainda não foi concluído, o que só se dará quando o ex-presidente operário for considerado inelegível e ficar de fora das eleições presidenciais deste ano, pois esse é o objetivo para o qual foi minuciosamente planejado após as eleições de 2014.
O golpe, na verdade, foi o plano B dos seus promotores, pois eles imaginavam vencer aquele pleito com Aécio Neves, o plano A que os eleitores brasileiros frustraram. O mesmo aconteceria na Argentina se Macri não tivesse sido eleito, ou seja, lá, em terras portenhas, o plano A deu certo, mas já enfrenta grandes problemas de sustentação. Aqui no Brasil a derrubada de Dilma era fundamental para chegar-se ao alvo principal, Lula, mas desta vez não havia clima para um golpe militar, o que levou os seus responsáveis a procurar emprestar uma cara de legalidade ao movimento golpista, usando o impeachment, previsto na Constituição, com a cumplicidade do vice-presidente , do PMDB, do PSDB, de parte do Legislativo e do Judiciário, além de empresários e da mídia. Todos estavam conscientes da inexistência de crime de responsabilidade que justificasse o afastamento da Presidenta, mas todos deram a sua contribuição para oferecer um verniz de legalidade à conspiração, de modo a convencer o resto do mundo, em especial os países que mantém relações diplomáticas com o Brasil, sobre um suposto acerto da decisão.
A espionagem da presidenta Dilma Roussef e da Petrobrás, pela Agência de Segurança dos Estados Unidos, cuja descoberta provocou ligeiro estremecimento nas relações com os americanos, foi de vital importância para a montagem do plano de assalto ao Palácio do Planalto. Não foi por acaso, portanto, que a Petrobrás foi o ponto de partida para as investigações que já estavam programadas para chegar de qualquer maneira até Lula. Não houve acaso, também, na escolha do juiz Sergio Moro para comandar a Operação Lava-Jato, considerando suas ligações com os responsáveis naquele país pelo planejamento do golpe. Ele viaja com frequência a Washington para, oficialmente, proferir palestras, mas na verdade sua finalidade seria receber instruções, conforme suspeitam observadores. A escolha de Pedro Parente para presidir a empresa estatal, por indicação dos tucanos, igualmente não foi casual. Ele é tido como um dos brasileiros integrantes da equipe de governo de FHC que só nasceram no Brasil, mas escolheram os Estados Unidos como sua pátria de coração. E vem cumprindo fielmente a missão para a qual foi colocado na Petrobrás: entregar nosso petróleo para as empresas estrangeiras e promover a privatização da empresa petrolífera nacional, dando sequência à quebra do monopólio do Petróleo, realizada por FHC, e a abertura do pré-sal para o capital internacional, projeto de outro tucano, o senador José Serra.
O pré-sal, na realidade, foi um dos motivos do golpe, diante do interesse americano em abocanha-lo, pois a principal causa mesmo foi a aproximação do Brasil, promovida por Lula, com a Russia e a China. A criação do BRICS foi a gota dágua que disparou o gatilho para a execução do plano, gerado nas terras do Tio Sam, que destituiu Dilma e pretende impedir Lula de voltar ao Palácio do Planalto. Os americanos ficaram preocupados com o afastamento do Brasil da sua esfera de influência e sua consequente aproximação com os seus principais rivais, pois isso fatalmente levaria os demais países da América do Sul a trilharem o mesmo caminho. Então, elaboraram um plano que incluísse, além do Brasil, também todo o continente americano, de modo a reconduzir as nações deste continente de volta ao seu aprisco. Conseguiram chegar ao poder através de eleições na Argentina e no Chile, com Macri e Piñera, respectivamente, mas não obtiveram êxito na Venezuela, onde partiram para o golpe armado, frustrado pela mão firme de Nicolas Maduro. Não vai demorar muito, porém, para que consigam derrubar o presidente do Peru, utilizando o mesmo método empregado no Brasil, o que só ainda não aconteceu porque Kuczynski fez um acordo com Fujimori, obtendo maioria no Parlamento.
A participação dos Estados Unidos no golpe do Brasil e na perseguição a Lula foi confirmada pelo subprocurador geral daquele país, Kenneth A. Blanco, que dirigia a Divisão Penal do Departamento de Justiça, durante palestra em julho passado, sobre o tema "Lições do Brasil: Crise, corrupção e cooperação global", realizado em evento denominado Diálogo Interamericano. Na oportunidade, ele deu as boas vindas a seu amigo Rodrigo Janot, ex-Procurador Geral da República do Brasil e um dos seus principais colaboradores. A informação foi publicada pelo jornal "El Clarin", do Chile, acrescentando que Blanco se felicitou pelos "resultados extraordinários" alcançados graças à colaboração do Departamento de Justiça com a operação Lava-Jato. "A cooperação entre o Departamento de Justiça e o Ministério Público brasileiro – disse Blanco – levou a resultados extraordinários. Só em 2016, por exemplo, o FBI e a Lava-Jato estiveram cooperando e se coordenaram nas resoluções de quatro casos ligados à Embraer, Rolls Royce, Braskem e Odebrecht."
Em sua palestra Kenneth A. Blanco afirmou, também, que "é difícil imaginar, na história recente, uma melhor relação de cooperação do que esta entre o Departamento de Justiça dos Estados Unidos e os procuradores brasileiros. Esta cooperação nos ajudou de forma substancial com uma série de temas públicos que agora estão resolvidos e continuamos juntos em uma série de investigações". E acrescentou, em tom de comemoração, que "os procuradores brasileiros conseguiram um veredito condenatório contra o ex-presidente Lula da Silva, acusado de receber subornos da empreiteira OAS em troca de contratos com a Petrobrás". A agenda norte-americana continua sendo cumprida com a anunciada venda da Embraer para a Boeing, a entrega da base espacial de Alcântara e a transformação de nossas Forças Armadas em polícia, um velho projeto do Tio Sam para deixar a segurança do continente com o seu exército. Os traidores da Pátria, entre eles Temer, FHC, Serra, Parente e Moro, estão concluindo, como marionetes manipulados de Washington, a tarefa iniciada no governo tucano: a entrega do Brasil aos Estados Unidos. Será que ainda existe alguma dúvida sobre a participação dos norte-americanos no golpe que derrubou Dilma Roussef, colocou Michel Temer no poder e quer impedir Lula de voltar ao Palácio do Planalto?

Comunicamos que estamos em manutenção

  Estamos melhorando a roupagem do Blog !  Em breve estaremos de volta . Agradecemos   compreensão !